“Quem não sabe brincar não desce pro play”

Share Button

Inacreditável o fato de que este post faz-se necessário.

Gente, olhem lá pro título do blog. Viram o personagem que ilustra este blog? É uma bruxa. Uma pessoa mal-encarada, mal-humorada e com cara de poucos amigos. Não é uma linda e pululante fadinha. Acho que esse DESENHO já define o estilo do blog, né?

A Madrasta do Texto Ruim é um personagem que desconta toda sua irritação em textos mal-escritos e em idéias de jerico. Ela é malcriada, xinga, fala palavrão. Fosse uma pessoa meiga, dócil e adorável, não seria a Madrasta do Texto Ruim, mas a Fada do Texto Ruim.

Se você tem preguiça de clicar nos links à direita “sobre o blog” e sobre minha pessoa”, deixa eu dar copy-paste aqui:

A ideia deste blog é publicar textos mal-escritos, expô-los ao ridículo, numa tentativa de exorcizar os encostos  (/bruxa malvada) e tentar consertá-los.

Não é um blog de auto-ajuda, não é um blog de português, não, não, não é nada disso. Trata-se de um blog de resistência. E de bruxarias do bem.

Não estou aqui para apontar (muitos) erros de digitação, ou mesmo errinhos de concordância, que ocorrem e passam despercebidos. A ideia é apontar textos com erros crassos de coerência, ou ainda, os casos em que a falta de estilo é motivo de polícia.

O público-alvo deste blog são pessoas que têm idade suficiente pra saber conjugar verbos, redigir textos adultos e, principalmente, indignar-se e irritar-se com textos mal-escritos ou atentados contra a gramática vigente. Gente que precisa ter, no mínimo, uns 15, 16 anos pra entender de que se trata o site. E gente de 15, 16 anos fala palavrão (e como fala).

Não consigo acreditar que tem gente que ficou ofendidinha porque eu usei palavrão no título de meu último post. Pior ainda: entra aqui neste blog pra questionar a forma como me expresso – em nome da liberdade de expressão. Questionar por que uma bruxa é malcriada? Por acaso o sujeito entra no site do Vaticano pra questionar por que o Papa reza? Tem coisa melhor pra questionar, não? Tem idéia melhor pra debater, não?

São pessoas incapazes de entender que, se eu falo na cara coisas desagradáveis, deve haver outras tantas pessoas que falam coisa bem pior – e pelas costas. Gente que não entende que minhas malcriações apontando o ridículo ou o non-sense de um texto são a expressão do que muita gente pensa sobre aquele texto, e só fala por trás (<– observem direitinho, é assim que se escreve!)

Oras, eu me expresso DA FORMA QUE EU BEM ENTENDER. Se você é capaz de entender o que eu digo e como eu digo, ótimo pra você. Se você não entende e acha feio, minha primeira vontade é de rir da sua cara, sinto muito. Eu costumo rir de pessoas que tiveram toda a oportunidade do mundo (boas escolas/boa formação em geral) e mesmo assim não conseguem aproveitar isso de forma racionalmente produtiva.

Sou malcriada? Sou.

Sou mal-educada? Sou.

S0u grossa? Sou.

E, com todo meu mau-humor e grosseria, ainda faço os outros rirem. Ainda bem que a grande e colossal maioria dos que vêm a este blog entendem o espírito da coisa. E eu curto muito isso. Quem me conhece pessoalmente sabe que eu sou uma palhaça – e isso é legal, tá? Palhaços curtem fazer os outros rirem de situações diversas…

Ah, o blog não é recomendável pra criancinhas! Cejura? Mas cejura mesmo?  Ah, então eu vou repensar aqui a situação, sabe? O que eu mais quero é que criancinhas de sete anos, que não devem falar palavrão, entendam de crase, concordância nominal, conjugação verbal e coerência redacional! Aliás, toda criança de sete anos sabe conjugar verbo com maestria, né?

Ah você tem que ser gentil e ter bons modos! Cejuuuuuuuuura? Mas cejuuuuuuuuura mesmo? Ah, então tá bom! Pode deixar, eu vou ser uma pessoa linda, fina, educada, gentil e prestativa. Mudo meu nome pra Fada do Texto Ruim e ninguém mais vem ler meus textos porque eles serão por demais melosos e bonzinhos.

Não gostou da proposta do meu personagem e do blog? Olha, você sempre pode recorrer ao xis. Não, não é o caractere X. É aquele xizinho que fica ali, no canto superior direito do navegador. Faça bom uso dele e seja muito feliz!

Em suma: “Quem não sabe brincar não desce pro play” <– isso foi dito no Twitter à Xuxa quando ela resolveu ir embora porque “vocês não merecem ficar comigo nem com o meu anjo”.

(Não chamei de palhaço, chamei de paunocu.)

Share Button


10 comentários sobre ““Quem não sabe brincar não desce pro play””

  1. marinildac comentou:

    Ahhhh, com esse eu não ri muito não, apenas concordo de CABO A RABO (ops, será que os seminaristas consideram rabo palavrão???). Quero rir mais. Exijo rir mais, senão clico no X.

    Queria tanto ser tua enteada…

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    é, tem horas que não dá pra fazer rir muito… é hora de chamar a atenção e puxar as orelhas….
    Mas me aguarde, que marido me mandou um texto com pérolas de relatórios de bancos….

  3. Marlena comentou:

    “Olha, você sempre pode recorrer ao xis”. A-do-rei! Vou adotar.
    Abraço

  4. Jairo T. M. Abrahão comentou:

    Minha querida “Madrasta”.

    Descobri, ontem, seu blog, graças ao Esquerdopata. Ele é, simplesmente , sensacional! E tem por objetivo corrigir erros, horrorosos, de quem não deveria errar: jornalistas!!! Sou Professor, aposentado, e sempre procurei falar e escrever corretamente.Embora não seja professor de lingua pátria, sempre indiquei os erros de escrita nas provas.
    Seu estilo é muito bom! Palavrões fazem parte da língua,e, quando bem aplicados tornam o texto divertido e atraente.Adorei sua maneira de enfatizá-los!
    Um grande abraço

    Jairo
    P.S. Desculpe-me tentar corrigi-la, mas o singular de caracteres é caráter.

  5. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    ô, Jairo!

    Que bom que você entendeu o “bejetivo” do blog! :D
    A idéia dele não é só corrigir erro de jornalista, não – mas é o que acaba aparecendo mais, né?
    Aqui também tem erro de publicitário (esses sempre erram em bandos, impressionante!) e, espero eu que com mais frequência, erros de funcionários ordinários de empresas.
    Aqueles que adoooram escrever “um novo conceito em funcionalidade”, saca?
    E puta merda, que bom que você curtiu a porra dos palavrões, caralho! :P

    Quanto ao seu P.S., o verbete “caractere”, no sentido de letra ou de botão de um teclado de computador, já foi incorporado por tio Antônio (Houaiss):

    Caractere
    n substantivo masculino
    Rubrica: informática.
    letra do alfabeto, algarismo, sinal de pontuação ou símbolo de qualquer natureza que pode ser introduzido em um computador pelo teclado ou por outro dispositivo de entrada, assim como exibido na tela ou em outro dispositivo de saída

    De qualquer forma, valeu pelo toque! :D

    Abração, volte sempre e aceite um cafezinho… :D

  6. Jefferson Alves comentou:

    Dona Bruxa,

    Quando alguem em sã consciência pode criticar o uso de palavrões no SEU blog, quando em qualquer lugar, qualquer escola, as pessoas usam e abusam do “baixo calão” para se expressar?

    Eu vejo o palavrão (ainda mais usado por este caldeirão) como um recurso de linguagem, uma ênfase. Nunca te vi (li) destratar ninguem, alias sempre foste um primor mesmo quando retruca nos comentários.

    Estou ansioso pelos próximos palavrões.

    Grande abraço.

  7. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    brigada, zifio, mas permita-me discordar:
    Destrato, sim e sou malcriada, sim. Mas só com os sem-noção que não sabem o que fazem n o planeta Terra… :P

    Abração, e volte sempre! \o/

  8. Allan Moraes comentou:

    Vemos proliferar por aqui aquela variação do louco de palestra: o louco dos comentários. O louco de comentários sempre começa com um “Eu não entendi a piada (e nem achei graça), mas gostaria de…” e termina com um “pesquise, há fóruns e artigos na internet sobre o assunto”. A coisa mais chata que existe na face da Terra é explicar piada, e isso sempre vira mais assunto pro louco de comentários, mas vá lá:

    http://www.faberludens.com.br/files/imagepicker/g/gonzatto/piada.jpg

  9. William Lourival João comentou:

    É típico do brasileiro, já cansei de ver gente que cria blogs interessantes ter que responder de algum modo para esses desocupados da internet, é sempre a lesma lerda! Dona Bruxa, como gosto de um bom whisky, digo: keep walking haha. (:

    Um abraço, aqui do sul.

  10. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Sabe que eu pensei no louco de palestra qdo vi o louco dos comentários proliferando aqui? Tudo em nome do “debate de idéias” Caraca, tanta coisa mais importsante pra debater, vem aqui me torrar por causa do meu estilo? Pra começar, se não gosta veio aqui fazer O QUÊ?!?!?!?!

    Mas quanto ao primeiro caso, o que originou o outro post, a causa dele já é perdida, coitado, pq ele provou que a “Madrasta do Texto Ruim” é uma frase tão eficiente que até ele entendeu o espírito da coisa.

    No mais, a frase “pesquise, há fóruns sobre o assunto” vai ser o “fica, vai ter bolo” deste blog!
    QUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA :D

    Abração!

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress