E o ânus sempre acaba (mal) usado, coitado…

Share Button

Vergonha alheia. Mau gosto alheio. Falta de noção alheia. Tudo alheio. Inclusive a boa imagem do queridocliente. [suspiro]

Vou republicar este post de 2009. Só pra atualização.

Primeiro, fiquemos com o texto original de 2009:

 

Isto chegou-me no Twitter via Flávia Durante.

Não me canso de dizer aqui que amebice publicitária é sempre obra coletiva. O primeiro jênio tem a ideia, daí vem outro pra executar, outro pra apresentar ao queridocliente e duas ou três amebas-cliente para aprovarem a bagaça. Formação de quadrilha, portanto.

Não sei se  é o caso de compadecimento ou de vergonha alheia das amebas que inventaram essa coisa em forma de publicidade. Aliás, me digam se o queridocliente pagou para ter uma imagem positiva ou negativa nesse reclame(/expressãovelha), porque nem isso ficou claro. O que ficou claro, aliás, claríssimo, nessa obra, foi o palavrão. Que não seria de bom tom nem se a peça em questão tivesse como público-alvo a parada gay. Como se homossexual gostasse de agressão gratuita e de palavras de baixo calão só por ser homossexual…

[suspiro…]

E agora, a atualização tonitruante, com igual probleminha de separação inadequada de palavras, via João Márcio no Faceboook:

 

Conclusão:

Berra a cabra, berra o bode, sempre acaba sobrando para a região retrofuricular, como diriam os cassetas…

Share Button


3 comentários sobre “E o ânus sempre acaba (mal) usado, coitado…”

  1. Zig comentou:

    Não quero nem imaginar o que é que eles servem de entrada nesse restaurante aí kkkk

  2. Luiz de Oliveira comentou:

    Haja vergonha alheia. Eu fico imaginando o que esses publiciOtários ( e os clientes que aprovaram a bagaça) têm na cabeça…

  3. Gabriel comentou:

    cu|dar kkkkkkkkkkkkkkkkkkk hilário!!!!

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress