A caminho da crase III – regência errada faz Reuters acusar Angelina Jolie de explorar os refugiados líbios

Daí que essa escorregada feia da tradução da Reuters (reproduzida por T-O-D-O-S os jornais do Brasil) vai servir de abre-alas pro próximo post, esse sim sobre crase.

Bom, antes que me perguntem o original táqui.

O título diz uma coisa e o primeiro parágrafo desmente o título e diz outra. Legal, né?

Ó só:

Angelina Jolie pede ajuda a refugiados da violência na Líbia [como é que é, zifia? Os refugiados vão dar ou vão receber a ajuda?]

A atriz e embaixadora da boa vontade da ONU Angelina Jolie fez um apelo nesta terça-feira  à comunidade internacional pedindo por ajuda às pessoas [arrá! Então é a comunidade intgernacional que recebeu o pedido de ajuda da Angelina Jolie! E os refugiados é que vão receber a ajuda! Ah, então tá bom!) que estão fugindo do conflito na Líbia e por maior assistência a quem permanece no país.

Diagnóstico da Bruxa: O título é que ficou com duplo sentido. Deixar o a como preposição ali foi de uma infelicidade tremenda, pois ele acabou dizendo que os refugiados vão receber ou oferecer a ajuda. Precisão no texto?  Não trabalhamos.

Eu faria assim pra consertar o título:

Angelina Jolie pede POR ajuda a refugiados da violência na Líbia

Ainda assim, curti muito esse título, não…

E aí? ficou feio?

Alguém tem sugestão melhor?

Mas ponham bastante reparo nas duas crases do primeiro parágrafo. Elas estão liiindas! Fresquinhas, certinhas, cheirosinhas e gostosas! 😀

E, antes que eu me esqueça, deixa eu colar aqui a prova de tio gúgou de que TODOS foram atrás desse título horroroso. ó só:

(E meus agradecimentos à @verbofeminino que enviou o link do Estadão pelo Twitter!)



2 comentários sobre “A caminho da crase III – regência errada faz Reuters acusar Angelina Jolie de explorar os refugiados líbios”

  1. Mario Abramo comentou:

    Dona Bruxa,
    Tava eu brincando de desatar nó borromeano (aquele papo de SRI, sabe? ozinho com Ozão, S1 com S2, ssas coisas q no meu tempo só se fazia dentro de quatro paredes e com luz apagada), quando, incauto que sou, inadvertidamente tropeço com a seguinte frase em blog “meio que sujo, ma non troppo” (tipo aí carinha q passa desodorante sem lavar suvaco):
    MinC admite supervisão do ECAD.
    Ops. O MinC vai ser supervisionado pelo ECAD? Ah, bão, ops, intendi, se era isso, não tá mais aqui quem falou…
    (O lead real é o MinC admite supervisionar o ECAD. Erro, pressa inimiga da ferpeição, ticetera).
    []s
    Mario Abramo
    “Eu de nada não sei. Mas desconfio de muita coisa”. Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas.

  2. Jornalismo vai control+C control+V « Olheiras comentou:

    […] A exemplo do jornalismo vai control+C, eu gostaria de postar um link do ótimo Objetivando Disponibilizar que mostra essa forma de reprodução sem critérios (o ótimo post pode ser encontrado clicando na imagem abaixo ou aqui): […]

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress