Arquivo pela categoria 'Hortografia pobremática'

De parônimos e enfrentamentos

domingo, fevereiro 28th, 2010

Ectoplasma suíno fresco por estas bandas me contou algumas deliciosas porém indigestas histórias de amebas escreventes. Como a de um cidadão que concedeu, via e-mail, autorização a seu subordinado para executar determinada tarefa:

Fulano,
Enfrente
!

Lindo, não?
A ameba quis dizer em frente, mas escreveu enfrente. Tentei imaginar o que se passou pela cabeça da ameba na hora em que ela escreveu enfrente, mas desisti. É, eu sei que eu insisto em sempre partir do princípio de que coisas desse tipo não só têm cérebro como sabem ler fluentemente.

Daí que eu desconfiava que esse fenômeno de palavras com som igual mas escrita e significados completamente diferentes tinha um nome específico. Tio Antônio me contou:

Parônimos

adj.s.m. (1858) gram ling 1 diz-se de ou cada um dos dois ou mais vocábulos que são quase homônimos, diferenciando-se ligeiramente na grafia e na pronúncia 1.1 diz-se de ou palavra cujos fonemas podem se confundir com os de outra(s), por razões etimológicas ou simplesmente tônicas (p.ex.: deferir: diferir, descrição: discrição, emigrar: imigrar etc.)

Quer dizer, domingo à tarde, e a ameba me faz ir ao dicionário pra ver o que é um parônimo!

Se eu recebesse o supracitado e-mail, eu obederia cegamente à ordem!

Iria à sala do meu chefe, chamá-lo-ia (a mesóclise é minha e eu a enfio onde dona Gramática me autorizar!) pra briga durante dez segundos (E aí, mermão? Vai encarar? Tu num é de nada, não! Vem cá pra tomar uns tabefes pra tu ver o quanto é bom) e, logo em seguida, com a maior cara de Fagundes, o puxa-saco, diria: e aí, chefinho, enfrentei de acordo com suas expectativas?

Porque eu sou cínica! E me lembrei deste causo, que não tem nada a ver com parônimos – só com enfrentamentos… 😀

No último lugar onde eu trabalhei, o chefe da redação me mandou, certa feita, o seguinte e-mail:

Dê um pulinho aqui!

Eu não conversei nem questionei: fui até a sala dele, pedi licença, dei um pequeno salto na frente dele, depois fiz cara de Fagundes e disse com sua licença, chefinho!, virei as costas e fui embora.

Ele riu da situação e me chamou pra tomar um cafezinho…

(Não, eu não fui demitida! O chefe que viu que me deu margem pra piadinha sem graça, e aceitou a brincadeira numa boa!)

Conjunto da obra perde

sábado, fevereiro 20th, 2010

Tá. Fiquem à vontade pra me acusar! Eu sei muito bem que quando essas coisas não vêm atrás de mim eu vou atrás delas. Mas fazer o quê? Eu preciso compartilhar com vocês!

Quem recebeu essa pérola por e-mail foi a Lelê do Te dou um dado?. E, como ela foi uma pessoa BOUA de compartilhar a coisa com os leitores do blog dela, eu também vou cometer idêntico ato de bondade.

Eis o que a acessoria de imprensa da Geisy Arruda (Uniban / vestido rosa horroroso / expulsa / subcelebridade… ligou? Não? Então, joga no Google! Mas corre que daqui a pouco ninguém mais sabe quem é ela, nem o cache do Google!) enviou aos jornalistas:

Quaso venha a interessar,tenho uma nota a ser divulgada.
Hoje no programa “Melhor do Brasil”,da rede record televisão
Geisy arruda da´ra inicio a sua participação no quadro “Vai dar namoro co famosos”,
onde rapazes do Brasil e do mundo faram suas inscrições e mandaram seus videos para
o link abaixo.
http://rederecord.r7.com/vai-dar-namoro/
Geisy arruda procura seu “Principe Encantado”,romantico,brincalhão,há mais não pode ser ciumento…kkk
Quaso acha interesse obrigada…
Acessoria de Imprensa
JENIFER ARRUDA!

Quaso [a quantidade de neurônios necessária para eu entender que a cidadã pretendeu escrever Caso aqui foi inversamente proporcional à quantidade de neurônios que ela dispendeu para cometer este texto!] venha a interessar,tenho uma nota a ser divulgada.

Hoje no programa “Melhor do Brasil”,da rede record televisão [Como ela diz rede recórdi, abstraiu a preposição de e que se dane!]

Geisy arruda da´ra [Aqui foi erro de dedo. Deveria relevar, mas o troço tá tão feito embaixo das coxas que não dá! Se ela relesse o que escreveu (sim, parto do princípio de que a tchutchuca sabe ler!), esse errinho de digitação não teria sido enviado!] inicio [aqui também faltou acento, bosta!] a [Crase? Hein? O que é isso? Se escreve com ésse ou zê?] sua participação no quadro “Vai dar namoro co [Viram que isso é relaxamento? viram que este troço foi feito de qualquer jeito?] famosos”,

onde rapazes do Brasil e do mundo faram suas inscrições e mandaram [corrããããooo!!! Fujããããõooo!!!!] seus videos para o link abaixo.

http://rederecord.r7.com/vai-dar-namoro/

Geisy arruda procura seu “Principe Encantado”,romantico,brincalhão,há mais [Ok. Ela perdeu a aula de Ronald Golias sobre as diferenças entre mas, mais e más!]. não pode ser ciumento…kkk

Quaso acha [De novo. A quantidade de neurônios que eu gastei pra entender que a tchutchuca quis dizer Caso haja (é, vamos combinar que haja é deveras elaborado pra moça escrever…) foi inversamente proporcional à quantidade de neurônios que ela dispendeu pra cometer este texto!] interesse obrigada…

Acessoria [E arrematou com chave de latão!] de Imprensa

JENIFER ARRUDA! [deve ser irmã da Geisy]

O que dizer então?

Muito obrigada, Supremo Tribunal Federal, pelo fim da exigência de diploma para o exercício do jornalismo!

Tá bom, tá bom, eu conserto a bagaça:

Caso venha a interessar,-espaço tenho uma nota a ser divulgada.

Hoje no programa “Melhor do Brasil”,da Rede Record de Televisão

Geisy Arruda dainício à sua participação no quadro “Vai dar namoro com famosos”,

onde rapazes do Brasil e do mundo farão suas inscrições e mandarão seus vídeos para

o link abaixo.

http://rederecord.r7.com/vai-dar-namoro/

Geisy Arruda procura seu “Príncipe Encantado”-dois pontos: romântico,-espaço brincalhão (travessão)  – ah! Mas não pode ser ciumento…kkk


Caso haja interesse, obrigada…


Assessoria de Imprensa

JENIFER ARRUDA!

Mas estou com dúvidas agora… acho que este e-mail é a prova concreta de que Geisy Arruda tem uma Acessoria, com cê mesmo – diqualidádi!

Promessas promissoras e promissórias

quinta-feira, fevereiro 18th, 2010

exorciza

Eis que adentra meu e-mail solicitação de uma ectoplasma suína que, segundo consta, teve os globos oculares queimados diante de tamanho disparate. Ela recebeu a pérola acima por e-mail marketing. A pobrezinha destacou apenas o item que queimou seus olhos, mas o material acima merece com louvor ser classificado como conjunto da obra. Vamos por partes, como diria Jack o Estripador.

Pra começar, abespinhou-me o nome da Faculdade, que está à beira de uma expressão imprópria. Joguei na web pra ver se é alguma abreviatura, e encontrei a deliciosa explicação:

O nome da instituição tem origem na grande amizade que nasceu entre eles [os fundadores da faculdade]: Epírito Santo Uniu Dois Amigos).

Lindo, lindo mesmo. Mas ainda bem que a grande amizade que uniu os dois não desembocou na frase Todo o Espírito Santo Uniu Dois Amigos, né? Tudo bem que essa abreviatura não supera o Encontro Regional de Jornalistas e Assessores de Imprensa do Rio de Janeiro (Erejai), nem o Movimento em Defesa do Ensino de Comunicação Social, que nasceu Fórum em Defesa do Ensino de Comunicação Social (Modecs / Fodecs). Mas tá no páreo.

Agora vamos à frase-bombril que abre o texto. Repare que o nome da área em questão está em negrito, ou seja, ele pode ser (e é) substituído por qualquer (eu disse qualquer, quê, u, a, éle, quê, u , é, érre) coisa. Repare só: troque Recursos Humanos por Informática, Recursos regionais... Viu só como cabe direitim?

Agora, divirta-se: troque Recursos Humanos por Tráfico de drogas, Contrabando de Armas ou Prostituição Internacional, por exemplo. Viu como ficou per-fei-to? Mas tudo bem, isso é coisa típica de e-mail marketing. O caboclo prepara um texto que serve pra tudo, e o adapta de acordo com as necessidades do cliente. Eu curto mesmo é ver o lado mau dessas frases que servem a gregos e troianos.

Me fez lembrar de uma entrevista que um cara da Globo (era o Wolf Maia? Não sei, pode ser…) deu pro Vídeo Show, falando de determinada pessoa:

Ah, Fulana é Fulana, é essa pessoa maravilhosa que ela é!

Não é maravilhoso? Você não sabe se a frase é ou não um elogio, e ela serve pra todos os seres humanos da face da Terra! quer ver só?  Troque Fulana por Papa João Paulo II ou por Adolf Hitler. Funciona da mesma maneira, impressionante! Eu uso essa frase direto quando preciso ser cínica e elogiar alguém que não merece ser elogiado…

Daí que nós finalmente chegamos ao ponto de queima do globo ocular da supracitada ecotplasma suína. Eu tenho cá pra mim que no lugar de promissória,  palavra certa seria promissora. Vamos conferir com tio Antônio?

promissor
\ô\ adj. (1899) 1  que faz promessas; que promete 2  que promete ser bom, feliz, bem-sucedido; propício <um negócio p.> <uma carreira p.>  3  que traz boas novas; auspicioso <notícias p.>  n adj.s.m. jur 4  m.q. promitente ¤ etim lat. promissor,óris, do rad. de promíssum, supn. de promittère ‘lançar, atirar longe’ ¤ sin/var prometedor; ver tb. sinonímia de favorável ¤ ant ver antonímia de favorável

Promissor \ô\

adj. (1899) 1  que faz promessas; que promete
2  que promete ser bom, feliz, bem-sucedido; propício <um negócio p.> <uma carreira p.>
3  que traz boas novas; auspicioso <notícias p.>  n adj.s.m. jur
4  m.q. promitente ¤ etim lat. promissor,óris, do rad. de promíssum, supn. de promittère ‘lançar, atirar longe’ ¤ sin/var prometedor;
ver tb. sinonímia de favorável ¤ ant ver antonímia de favorável

É, então eu tava certa! A palavra adequada pra essa frase é mesmo promissora.

Mas, tio Antônio, por que esse promissórias aí não tá de bom tom?

Promissória

s.f. jur  red. de nota promissória ¤ etim fem. substv. de promissório

Daí que neste site aqui você descobre direitinho o que é uma nota promissória:

A nota promissória é um título de crédito emitido pelo devedor, sob a forma de promessa de pagamento, a determinada pessoa, de certa quantia em certa data. A nota promissória, portanto, é uma promessa direta e unilateral de pagamento, à vista ou a prazo, efetuada, em caráter solene, pelo promitente-devedor ao promissário-credor.

Ou seja, pelo que tá escrito ali, a área de Recursos Humanos está lhe devendo alguma coisa, e vai pagar algum dia. E você que espere. Enquanto isso, você que pague duas parcelinhas de R$ 170, no cheque ou no cartão, faça o curso e viva com as promessas da área em questão.

(Mas será que a tal faculdade aceita o pagamento em nota promissória?)

Café cultural

sexta-feira, janeiro 15th, 2010

Mais uma de ectoplasma suíno.

Esse aviso leeendo está coladinho na máquina de café espresso da empresa onde a supracitada ectoplasma trabalha.

Vamos sorvê-lo aos poucos, como se um delicioso expresso fosse:

orly

Aí eu fico pensando: será que tem gente que acredita que, ainda que se use o aparelho de forma inadequada, ele vai funcionar direito? Tenho medo de pensar que tem gente que acredita nisso, viu?

Até porque, a correta utilização de QUALQUER aparelho leva a seu bom funcionamento (à exceção dos computadores, mas deixa isso prá lá).

Segundo que a expressão espresso é correta em italiano, mas não o é em português.

A palavra expresso (ex + presso) também pode significar retirado sob pressão. Querem ver só?

Falaí, tio Antônio:

Ex-

1) da prep.lat. ex/e ‘movimento para fora, tirado de’, (…);

2) do pref.prep.gr. eks- ‘fora de’ (conexo com ec-): exantema;

Daí que eu quero ver algum dicionário aceitar o espresso. Se aceitar eu chamo no braço!!!

E vai logo tomar seu café antes que esfrie, oras!!!

Da série “trocadilhos acidentais”

sexta-feira, janeiro 15th, 2010

Dica de uma ectoplasma suína, claro.

Lembram quando a Fátima Bernardes perguntou pro César Cielo como era atingir o alto do topo, e eu resolvi creditar essa na cateogria trocadilhos acidentais?

Pois tem mais uma notícia que se enquadra nessa categoria. Pô, sacanagem que o eme tá lá do ladim do ene… olha só o que Senhor Redator aprontou aqui:

zona morte

Falo mais nada.

O pretérito perfeito e o futuro equivocado

sexta-feira, janeiro 15th, 2010

Mais lá pra baixo, eu falava das amebas acorrejentes que cismam em corrigir os corrão, leião e vejão. E expliquei como identificar um texto em que esses verbos são usados de forma irônica, certo?

Pois bem, hoje a aula é inversa. Vou mostrar um caso em que o verbo foi conjugado errado, mesmo. E não tem ironia, não, tem inguinhorânça, mesmo! Pode ser conferido neste link aqui. E olha que eu elogiei horrores esses dois meninos há alguns meses. Mas não retiro uma linha do que disse. Deus e eu no sertão é a coisa marlinda do mundo. O assessor de imprensa deles é que precisa tomar vergonha na cara…

Mas vamos ao texto-tetéia:

Villa Country recebeu Victor & Leo e famosos dia 14
A maior e mais tradicional casa country e sertaneja do Brasil, Villa Country, abriu o ano com o show da famosa dupla, Victor e Leo, no dia 14.
Na apresentação para 5 mil pessoas estavam presentes Latino, Marco Luque, Rogério Morgado, Nadja Haddad, entre outros.
Os irmãos tocarão hits como “Borboletas” “Deus e eu no sertão”, além dos sucessos do novo CD Ao vivo e em cores, como “Estrela Cadente”.

Villa Country recebeu Victor & Leo e famosos dia 14 [Repararam o recebeu, né? Pretérito perfeito. Claro, uma vez que hoje é dia 15 e o feito ocorreu dia 14, o verbo está correto.]

A maior e mais tradicional casa country e sertaneja do Brasil, Villa Country, abriu [Outro verbo no pertérito. Perfeito.] o ano com o show da famosa dupla, [aaaaaaaaahhhhhhhh!!! Virgula aqui NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOO!!! ]Victor e Leo, [aqui também nããããããããoooooooooooo] no dia 14.

Na apresentação para 5 mil pessoas estavam [de novo. pretérito. perfeito.] presentes Latino, Marco Luque, Rogério Morgado, Nadja Haddad, entre outros.

Os irmãos tocarão [AQUIIIIIIII!!!!!! AQUIIIIIIIIIIII! AQUIIIIIIIIIII! NÃO TEM IRONIA NO TEXTOOOOO!!! A ameba deveria ter escrito tocaram, mas equivocou-se, coitada!] hits como “Borboletas” “Deus e eu no sertão”, além dos sucessos do novo CD Ao vivo e em cores, como “Estrela Cadente”.

Entenderam, crianças, como é fácil identificar um erro autêntico?

A ameba acorrejente

quinta-feira, janeiro 14th, 2010

Corrão!, Vejão!, Leião! e coisas do gênero já se tornaram uma espécie de gíria na Internet.

Quem usa essas expressões sabe, de cara, que está errado. O correto é vejam, leiam, corram etc, etc, etc…

Além disso, quem usa essas expressões o faz com cinismo e ironia. Como eu, o Cardoso ou as meninas do Vende na Farmácia?, que sabemos escrever direitinho, graças a Deus.

Se você for uma pessoa com meio neurônio funcionando bem, percebe que um texto bem escrito, com princípio, meio e fim, no qual o português flui que é uma beleza, e que se conclui com um “CORRÃO!” está sendo irônico nessa última palavrinha.

Mas esse tipo de ironia sempre (eu disse SEMPRE, ésse, é, ême, pê, érre, é – sou carioca, meu e tem som de é) atrai um sujeito que, além de não perceber a ironia contida na expressão, ainda faz questão de se mostrar douto, e corrigir o seu texto nos comentários do blog.

Confirão o que a Loo do VNF? me enviou via Twitter. A tchutchuca pode ser conferida neste link aqui.

aimeudeus

Doravante, esses seres serão por mim denominados as amebas acorrejentes.

E aí, vai corrigir o meu acorrejente?

Sem esperanças

terça-feira, janeiro 12th, 2010

Hoje acabaram-se todas as minhas esperanças no ser humano luso-parlante.

Este link foi passado pela Mariana Belém via Twitter. Vejam como ele exterminou minhas esperanças:

auta

Oremos.

Galicismo é temdemssia para 2010

quarta-feira, dezembro 30th, 2009

Sinto que em 2010 o novo conceito vai ceder o lugar a um novo olhar.

Repara só a quantidade de novos olhares que começam a pulular nos textos das amebas escreventes…

Bem que o Ruy Castro avisou

(Aviso, amebas: temdemssia está escrito errado de propósito. O certo é tendência. Mas não usa não, porque ô palavrinha batida, viu?)

Seis dicas para começar 2010 de mal com a Língua Portuguesa

segunda-feira, dezembro 21st, 2009

Engraçado descobrir que fim de ano só muda mesmo o número do ano que está acabando e do que está começando. O resto fica igualzinho. É Simone, Ivan Lins e John Lennon tocando nos alto-falantes dos shoppings e supermercados, você doida pra esfolar vivos os dois primeiros e ressuscitar o terceiro pra esfolar vivo também, de tão irritantes que soam essas musiquinhas batidas de natal…

E nas publicações? Putz! As revistas femininas publicam aquelas reportagens sobre a ceia dos seus sonhos, ou como decorar sua casa para o Natal (e você fica fula da vida quando descobre na prática da decoração mal-feita que você é um ser humano normal, e não produtora de fotografias), ou o lugar-comum dos lugares-comuns: metas para o ano que vem.

Jamais caí na esparrela de estabelecer metas pro ano que vem. Sei que não vou cumprir mesmo, então chego ao mês de dezembro do ano seguinte com alguns pesos a menos na consciência. E nem me sinto tão imperfeita.

Mas isso não vem ao caso. Vamos falar aqui de mais uma historinha tchutchuca de metas pro ano que vem. Esta pode ser encontrada aqui, no Terra.

De acordo com essa reportagem, pra você ter um bom plano de metas para o ano seguinte, você precisa ter…. FOCO!! GAAAAAAAAAAAHHHHHHHH!!!! Espiem só a obra:

1)Revise o que é importante, se questionando em que atividades pode focar [e que em 2010 você abra mão de ser mulher e se torne uma lente teleobjetiva!] e quais deve descartar. Faça duas listas com as respostas (focar e descartar)[porque você vai ter um lado teleobjetiva e um lado lixeira, claro!] por ordem de importância. Reflita sobre os cinco primeiros itens e detalhe um plano de ação em sua agenda.

2) Organize uma agenda, onde possa centralizar todos os seus planos [e que se dane sua vida pessoal, sua casa, sua família, seu emprego…. o importante são seus planos no centro da sua agenda. Pensando bem, deixe os planos no centro da agenda, e não da vida. Pronto! Resolvido!]. Assim, não tem como se esquecer do que pretende conquistar em 2010.

3) Não tenha muitas metas. É melhor focar em poucos objetivos [hummm… se vai focar em poucos objetivos, então você pode realmente ser uma teleobjetiva, sem crises existenciais! Nada de tentar ser uma grande angular, hein?], sempre relevantes e viáveis.

4) Crie pontos de controle da seguinte maneira: a cada bimestre, agende uma reunião de uma hora com você mesmo [Vai fundo! Agende a reunião! Mas não se esqueça de remarcar a reunião porque você não poderá estar consigo mesma no momento marcado… taqueopa!] com o intuito de revisar suas metas e o que deve descartar. Isso diminui o risco de que as promessas sejam deixadas de lado.

5) Compartilhe seus objetivos com alguém de confiança, que o ajude a manter a motivação. Questione a pessoa escolhida sobre seus planos.[Per-fei-to! Questione a pessoa escolhida sobre os seus planos! Fulano, por que eu não emagreci? Fulano, por que eu ainda não entrei pra academia? Excelente idéia pra manter sua consciência livre e tranquila!]

6) Dedique tempo a você em 2010, o que colabora na tarefa de ter energias para executar suas metas. Portanto, inclua atividades de lazer em sua rotina com uma periodicidade ao menos quinzenal.

Então, queridos, que em 2010 o ato de focar seja ação exclusiva das lentes! Concentre-se, dedique-se, preste atenção, mas não foque jamais! Tenham o trabalho de adquirir máquinas fotográficas com foco automático e sejam felizes!

Que em 2010 vocês dêem um passo de cada vez, sempre com a Língua Portuguesa a seu favor.

Felicidades!

O pírito que não é mais

sábado, dezembro 19th, 2009

expirito

Essa tchutchuca está aqui. Mas quem traduziu brilhantemente o significado dessa coisa aí foi a Rosana Hermann, aqui.

A mulherzinha está falando de um pírito que não é mais – trata-se de um expírito. E claro, com a reforma ortográfica, caiu o hífen (/mentira).

Eu acho pouco provável que a dita estivesse a se referir a um espírito, né?

E não digam que ela é carioca. Até no Rio de Janeiro, a terra dos éssix finaix com som de xix, espírito se escreve com ésse.

Nessas horas, eu só posso dar graças a Deus por Oscar Wilde, esse sim, ter sido alfabetizado em inglês…

Desafio aceito

segunda-feira, novembro 23rd, 2009
Tadinho do feiticeirinho! Tão novinho e já sente Vergonha Alheia! Também, olha o texto que ele foi obrigado a ler!!!

Tadinho do feiticeirinho! Tão novinho e já sente Vergonha Alheia! Também, olha o texto que ele foi obrigado a ler!!!

Pobrezinho do meu feiticeirinho… ficou chocado!

O blog “Não Salvo” postou aqui o desafio de decifrar o troço escrito em caracteres a esmo (não, isso não pode ser classificado nem como tentativa de português!) que eu copiei aí em cima.

Dispenso o tal do Polystation, meu caro.

Vamos primeiro para a tradução básica, do miguxês para o português meia-boca. Porque, antes de mais nada, é preciso entender o que a ameba escreveu, né?

Muito bom merecer mais do que essas cinco estrelas

seja quem for que fez este tema, você é o cara. Este é o melhor tema que eu já vi. Não [tem, existe] tema melhor do que este. é tudo o que eu queria para um tema para o meu [windows] XP, porque eu já baixei quase todos no [site] ‘baixaki” [www.baixaki.com.br] e [ou mesmo em] outros sites, mas este foi o melhor que eu já vi. Quem for baixar, chame aquele seu vizinho chato e gabe-se muito, porque o seu PC é mais bonito que o dele e, o melhor, não está lento com o temaque você está usando no seu XP. Há, moleque!

Agora, do português meia-boca pro português minimamente culto. Agora, sim, sinto-me à vontade para imprimir um mínimo de estilo e normas ortográficas e gramaticais na joça. Vamos lá:

Muito bom merecer mais do que essas cinco estrelas

Quem quer que seja o autor deste tema[de decoração do windows XP], você é o cara. Trata-se do melhor tema que eu já vi. Não existe tema melhor do que este. É tudo o que eu queria em se tratando de um tema para o meu [windows] XP. Já baixei quase todos os temas de XP no site www.baixaki.com.br, ou mesmo em outros sites. Mas este foi o melhor que eu já vi. A quem for baixar este tema, um conselho: chame aquele seu vizinho chato e gabe-se muito, porque o seu PC é mais bonito que o dele e, o melhor, não está lento com o tema que você está usando no seu XP. Ah, moleque!

E, para que não pairem dúvidas a respeito do assunto, o cidadão curtiu muito o tema do windows que ele baixou, OK?

Missionária corrigida

sábado, setembro 19th, 2009
Nem vou dizer que de boas intenções o inferno tá cheio porque não pega bem, né?

Nem vou dizer que de boas intenções o inferno tá cheio porque não pega bem, né?

A igreja em questão divide o imóvel com uma borracharia, e fica no bairro da Aclimação, em São Paulo.

Para os gatinhos, “pedaçinhos”

sábado, setembro 5th, 2009

Blablabla pedaçinhos blablabla humano analfabeto blablabla

Blablabla pedaçinhos blablabla humano analfabeto blablabla

Mais uma carta da professora Ju, a Dora Avante deste Caldeirão. Eis que nossa amada mestra adotou um gatinho que lhe entrou pelo cano da casa (se não me engano, foi pela calha). Francisca (/amante e protetora dos bichinhos indefesos) que é, Ju adotou o bichano, a quem mui apropriadamente batizou de Chico.

Pois agora Chico divide o doce lar da Ju com Lara Maria, Rebecca Cristina, Nani e Caco – os dois últimos espécimes dotados de duas patas e advindos da barriga da Ju; já as duas primeiras tratam-se de autênticas representantes da raça canina.

Mas, enfim, Ju foi comprar comida pro Chico. Não é lá muito íntima de cuidados com felídeos, e correu pra primeira opção de ração para gatos que encontrou na frente. Olha que a opção aparentemente não era pouca coisa: Whiskas Sachê.

Influenciados que somos pelo universo da propaganda, acreditamos todos que Whiskas Sachê é uma boa opção de alimentação para os bichaninhos, né? Mas Dona Ortografia discorda um pouco disso.

Vou abstrair a relação de 13 benefícios, pois para isso precisaria de um pós-doutorado em numerologia, e eu não estudei inutilidades. Atentarei apenas para os pedaçinhos suculentos.

Pensando bem, é melhor enviar amostras do produto pra Vigilância Sanitária. É que é fácil tentar imaginar o que contém um pedacinho de ração. Mas eu tenho muito medo do conteúdo dos pedaçinhos de ração…

Ameba pede “requeza” de detalhes

sexta-feira, setembro 4th, 2009
Conjunto da obra...

Conjunto da obra...

Gente, olhaissoaquimeudeusdocéu…

Essas coisas me tiram tanto as forças que eu nem consigo encontrar a barra de espaços no teclado…

A ameba em questão resolveu comentar este post aqui. Deu, como endereço de site, o “goolge”. Ok, erro de dedo. Não vou encher o saco. Mas se ele tivesse parado por ali, estaria tudo bem. O negócio é que ele não parou…

A ameba resolveu me pedir requezas de detalhes. Requezas, gente, ele me pediu requezas! Com E !!!!!!!!!!!!!!!

Mas ainda que seja a madrasta do texto ruim, eu sou uma mulher boa, muito boa. Ele quer exemplos? Pois lh’os dou!

Como muito bem gostava de explicar o Ronald Golias, em português nós temos o mas, mais e más (no vídeo aí acima, aos 50 segundos. Miacabaaaaava com o Golias!). E ele ainda dava exemplos: Eu ia lá mas não vou mais; elas são más.

O mas é conjunção adversativa. Indica que suas idéias iam prum lado e resolveram tomar outro rumo: Ele é bonito, mas tem uma verruga no nariz. É o mas que deveria ter entrado aí na sua frase, viu, ameba?!?!?

O mais indica adição: Golias tinha uma esposa e mais duas namoradas.

E quanto às requezas de detalhes que você pediu, não vou nem me dar ao trabalho de acordar tio antônio de seu cochilo gostoso, viu? Tome tendência e vá fazer ditado pra aprender a escrever direito, oras!

(É cada um que me aparece por aqui, que francamente…)

Cubo mal-assombrado e hermafrodita

quarta-feira, setembro 2nd, 2009

Alguém, pelamordedeus, controle essas amebas escreventes! Pô, não é fácil cuidar do feiticeirinho e ver um monte de ameba pululando na sua frente! Vou ter que andar com borrifador de vinagre fervente preso na cintura pra ver se adianta alguma coisa!!!

Vejam vocês a pérola de Deus-sabe-o-quê que a Professora Ju (que muito bem se assinou ectoplasma de plantão) mandou pro meu e-mail. É um texto com sérios problemas psicológicos de personalidade e de sexualidade, muito ameaçador e mal-assombrado. Fala de uma toba, só definida no quarto parágrafo, que será inaugurada em Campinas (SP) em setembro. Segundo o texto, é uma Cubo. Mas vamos acompanhar o primor de redação:

Nasce em Campinas um empreendimento único e diferenciado [Pronto! Começou bem! Nego tá tão acostumado com lugar-comum pra tapar buraco em texto, que trata os negócios que nem pedaço de pão pra calafetar dente cariado! Bosta, se o empreendimento é único, me digam prá quê ele precisa se diferenciar dos outros? Se ele é “diferenciado” (quanto deu o resultado do cálculo diferencial?), é porque ele nasceu igual aos outros e foi… er… diferenciado a posteriori – ou eu estou errada?] . Baseado nos conceitos de música, tecnologia sonora, visual e serviço de alto padrão, o local reúne esses quatro elementos [Eparrê-iansã! Que reza braba, sô! O Conceito transubstanciou-se em elemento? Isso sim é que é milagre do Espírito Santo! Fazer uma virgem conceber sem pecado não é nada diante da transformação de QUATROOOOO conceitos em QUATROOOOO elementos!!!] em uma atmosfera sofisticada e inovadora [taí outra palavrinha que de tão mal-empregada tornou-se extremamente vulgar. Cara, uma inovação é um troço sério à beça! Considero uma inovação digna do título, por exemplo, a telefonia celular. Se antes você não tinha como se deslocar enquanto falava ao telefone, a tecnolgia celular lhe conferiu esse poder. Aí, sim, tivemos um novo conceito em telefone: você não só pode transmitir sons à distância (daí o nome tele-fone), como também pode fazê-lo enquanto estiver em movimento. Mas qual é a inovação do Cubo em questão? Aliás, de que se trata esta toba, meudeusdocéu?] jamais vista na cidade. [É fácil saber quando o texto tá uma bosta. É só comparar a quantidade de texto em vermelho e a quantidade de texto em azul. Se tem mais azul que vermelho, é porque a redação me dá margem de sobra pra desancar… mas vamos ao parágrafo seguinte. Soframos:]

Tecnologia digital mesclam as cores dos leds em forma de cubos, sistema de VU nas paredes que interagem junto com a equalização das músicas, um áquario no bar iluminado por leds e um poderoso sound system que dispensa comentários.
Com capacidade para 350 pessoas, a casa possui uma localização estratégica e de fácil acesso e também dispõe de ambientes reservados que permitirão ao cliente uma interação total com a pista, satisfazendo com perfeição as inúmeras exigências do público.
Reforçando estas características, a Cubo será o responsável por trazer grandes nomes da cena eletrônica Mundial e Nacional. A proposta é trazer para cada noite um estilo musical diferente. O clube abrirá suas portas às quintas, sextas e sábados para as noites Living, Crew, Freak Out e Discovery.
A CUBO inaugura em Setembro e vem pra inovar e fazer a diferença das noites campineira.
Em breve!

Tecnologia digital mesclam [GAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHH!!! A tecnologia digital mesclam? Dona concordância nominal continua de férias? E volta quando, meu Deus?] as cores dos leds em forma de cubos [bom, até agora conseguimos descobrir que os cubos do local serão formados por luzinhas projetadas graças às manobras propiciadas por dona tecnologia digital. Mas onde, quando e por que ainda não sabemos… paciência, pois] , sistema de VU [não sei o que é VU. Mas esse texto causa uma grande VA (vergonha alheia) nos leitores] nas paredes que interagem junto [FUJAAAAAAAAAMMMMMMMMM!!!!! É ASSOMBRAÇÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOO!!!! As paredes interagem junto? Isso é assombração pleonástica! Só pode ser! Pleonasmo, se você não está ligando o nome à pessoa, é aquela figura de linguagem que sobe pra cima, desce pra baixo, entra pra dentro e sai pra fora. Como uma interação junto, por exemplo. Estou para conhecer a interação em separado…] com a equalização das músicas, um áquario no bar iluminado por leds e um poderoso sound system que dispensa comentários. [Muito medo desse sound system que dispensa comentários. Gostaria de saber mais detalhes sobre o sistema de som, mas acho que as assombrações pleonásticas não permitiram sua versão para o português fluente, né mesmo?]

Com capacidade para 350 pessoas [Bom, se a casa tem capacidade pra 350 pessoas, presume-se que seja um local de festa, ou boate, ou danceteria…], a casa possui uma localização [outro caso de verbo mal casado com o substantivo. Quer dizer, então, que entre as suas posses você pode incluir uma localização? Localização é uma coisa que você compra? Que eu saiba, fica mais bonito trocar ou ter uma localização… mas vamos deixar isso prá lá. Dos males o menor.] estratégica e de fácil acesso e também dispõe de ambientes reservados que permitirão ao cliente [gosto muito dessas amebas que deixam suas ganas de controle total nas entrelinhas. Elas são tão legais que até permitem que o queridocliente faça isso ou aquilo. Mais que isso, elas não permitem, não! E quem tentar vai pro castigo por desobediência! Oras… cliente bom é cliente obediente e controlado!] uma interação total [Mas aqui não dá pra relevar! Alguém pode, por favor, me explicar como é que os ambientes reservados interagem de forma total?] com a pista, satisfazendo com perfeição as inúmeras exigências do público. [Pronto! Tá vendo só? Ôestilozinhodemerda, sô! “Satisfazendo com perfeição” é um “atendendo às necessidades” mais pernóstico, né não? Ou um papel higiênico com folha dupla e macia!]

Reforçando [NÃÃÃÃÃÃOOOOO!! Gerúndio NÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOO!!!] estas características, a Cubo [o local em questão já nasceu hermafrodita. Tem dois sexos, o… empreendimento (taqueopa…). Bem melhor ficaria se tivesse um complementinho pra dar uma liga, como “a boite Cubo”, ou “a danceteria Cubo”. Faria mais sentido, né? Do jeito que tá denuncia hermafroditismo! A não ser que isso seja apenas um golpe de marketing para trazer a Lady Gaga pro Brasil! OK, desculpem, piadinha péssima essa…] será o responsável [viram só? Fica difícil saber se o tal do Cubo é menino ou menina!] por trazer grandes nomes da cena eletrônica Mundial e Nacional. A proposta é trazer para cada noite um estilo musical diferente. O clube [Táqui! Táqui! Táqui!!! É um clubeeeeeeeeeeeeeeeee!!!! No QUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARTO PARÁGRAFOOOOOOOOO a gente descobre que a toba é um clube! Então, ‘bora chamar de “Cubo Clube”? Assim fica lindinho!] abrirá suas portas às quintas, sextas e sábados para as noites Living, Crew, Freak Out e Discovery.

A CUBO inaugura em Setembro e vem pra inovar e fazer a diferença das noites campineira.[Temor das noites campineira. Nessas noite, as paredes interagem junto em ambientes inovadores, diferenciados e mal-assombrados! Fujam para as montanhas!!]

Em breve! [E eles ainda ameaçam você! Se você não fugir a tempo, a Cubo chega e bota as paredes pra interagir junto! Cuidado!!!]

´Bora reescrever a toba:

Nasce em Campinas um empreendimento único e diferenciado. O clube reúne música, tecnologia sonora, visual e serviço de alto padrão em uma atmosfera sofisticada e inovadora [vamos combinar que esse inovadora é dispensável] jamais vista na cidade.

Graças à tecnologia digital, as cores dos leds são projetadas em forma de cubos na pista. Além disso, o sistema de VU nas paredes faz com que elas interajam junto com a equalização das músicas. O local ainda conta com um aquário iluminado por leds, que fica no bar, e um sistema de som bem poderoso.

Com capacidade para 350 pessoas, a localização da casa é estratégica e de fácil acesso-ponto. O clube também dispõe de ambientes que, embora reservados-vírgula, conferem ao cliente interação total com a pista, satisfazendo com perfeição as inúmeras exigências do público.

E para reforçar tais características, o Cubo Clube será o responsável por trazer grandes nomes da cena eletrônica Mundial e Nacional. A proposta é trazer para cada noite um estilo musical diferente. O clube abrirá suas portas às quintas, sextas e sábados para as noites Living, Crew, Freak Out e Discovery.

O Cubo Clube inaugura em Setembro e vem pra inovar e fazer a diferença das noites campineiraS.

Em breve!

E que fique registrado que o texto foi reescrito com uma das mãos ocupadas (o feticeirinho tava no meu colo cochilando depois de mamar…). Ou seja: não é nem um pouco difícil escrever direito, viu?

Algo me diz que o cabra vai ter trabalho…

terça-feira, setembro 1st, 2009
trabalhinho de corno, rapá...

Legenda pra quê?

Vamos combinar de não procurar saber QUE EDITORA abre as portas prum cabra desses, muito menos qual o conteúdo (?!?!?!) do livro, né?

E que nossa Senhora da Locução Verbal abençoe o pobre infeliz do rEvisor do seu Joel, porque esse cabra vai ter muuuuito trabalho!

(tem coisas que só o Cardoso encontra no Twitter…)

Um pouquinho de guerrilheira antes do recesso…

quinta-feira, agosto 20th, 2009

Bom, o feiticeirinho chega amanhã. Portanto, acho que vou ficar sem mexer no caldeirão por algum tempo. E, quando mexer, vai ser rapidinho.

Mas eu não posso ir embora sem antes publicar pra vocês a última pérola da Guerrilheira do Funk. É, ela mesma!

Vamos às últimas notícias novidades:

A ex. dançarina [ex-ponto dançarina significa excelentíssima dançarina?] de Alexandre Frota, mais conhecida como “Guerrilheira do Funk”, lançará nesta quarta-feira [já foi, já foi] na danceteria Tal seu primeiro cd [CD em caixa alta!] de funk [Uma vírgula cai bem aqui, viu?] agora como MC Dani Lopes. Dona de medidas invejáveis como 100cm de quadril e 80cm [espaço entre o valor e a unidade de medida também combinam tanto quanto chope e bolinho de bacalhau, viu?] de busto, traz em seu cd [de novo! CD!] intitulado “Funk Geração Saúde” críticas às pseudas [GAAAAAAAAAHHHHHHH!!! FUJAM PARA AS MONTANHASSSSSSSSS!!!] “Mulheres Frutas” [O plural de mulher-fruta é mulheres-fruta. Quando a segunda palavra do substantivo composto tem valor de adjetivo, ela não varia no plural!] , conta a trajetória das cantoras Gretchem [se for a mesma cantora da Melô do Piripipi (/meu passado me condena), então ela se chama GretcheN, com êne no final!] e Rita Cadilac [perdeste outra oportunidade de aplicar uma vírgula bem aplicada!] além de homenagear a atriz Leila Lopes

Mas o que houve que o querido assessor de imprensa de dona soldada não ligou o CAPS LOCK DO COMPUTADOR DESSA VEZ? Bom, sem maiores delongas, vamos logo melhorar a bagaça aí embaixo:

A exhífen-dançarina de Alexandre Frota, mais conhecida como “Guerrilheira do Funk”, lançará nesta quarta-feira na danceteria tal seu primeiro CD de funk-vírgula, agora como MC Dani Lopes. Dona de medidas invejáveis-vírgula, como 100espaço cm de quadril e 80espaço cm de busto, traz em seu CD intitulado “Funk Geração Saúde” críticas às pseudoMulheres-fruta”, conta a trajetória das cantoras Gretchen e Rita Cadilac-vírgula, além de homenagear a atriz Leila Lopes-ponto.

Eu só queria aproveitar esse momento de recesso maternal para fazer um apelo ao assessor de imprensa da dona terrorista do funk: aê, moço (ou moça), será que dava pra você me incluir na sua lista de remetentes? tudo bem que eu posso até copiar seus textos do Te dou um dado?, coisa que sempre faço e fiz mais uma vez, mas é que você é sempre um mau exemplo de texto aqui pro Objetivando Disponibilizar! Por favor, envie seus textos de bosta para objetivandodisponibilizar arroba gmail ponto com.

Gradicida, viu?

Quem quiser notícias minhas, favor acompanhar no meu twitter as informações sobre o nascimento do feiticeirinho! Não precisa ser membro da comunidade para acompanhar.

Até daqui a pouco!

Ô, carma!

quinta-feira, agosto 13th, 2009

Esse título aqui é só porque a bruxa-mãe e o marido estão falando de carmas e reencarnações. Mas eu tenho que compartilhar com vocês o meu carma.

Vocês são testemunhas de que eu tento fugir dessas coisas. Publiquei Manuel Bandeira, publiquei até Chico Bento. Mas não tem jeito. Meu carma é texto ruim. Essa coisa me persegue.

Quem me mandou essa foi o marido da minha amiga Letícia, o Fernando. Tá aqui.

Vejam parte da pérola. Imagine confiar a comunicação da sua corporação a essa… empresa. você vai ter todo um departamento de comunicassaum à sua disposissaum, né? Confiram:

O Marketing Digital é a melhor forma de obter resultados na internet e gerar lucros pra [eu adoro escrever pra. Este caldeirão está salpicado de pras. Mas o texto desse caldeirão é informal até dizer chega. Pensando bem, você diz chega! e o texto continua a ser informal. um texto oficial, de apresentação de uma empresa, tem que ter um mínimo de palavras engomadas. e pra não é uma palavra engomadinha. Pooooonto negativo!] sua empresa atraves [não satisfeitos em não acentuar o através, eles ainda usaram a preposição de forma feia.] da divulgação da sua marca [ante a iminência do ponto final, eu vaticino: masquebostadefrasezinhalugarcomum!]. A Empresa Tal é considerada uma das mais preparadas agencia [gaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhh!!!! Fujam para as montanhaaaaaaaaaaassssss!!! Imagina se ela não fosse uma das mais preparadas agênciaS – e ainda por cima é do ramo!! DO ramo!! ai, que horror de lugar-comum!!!] do ramo, estamos iniciando [ela virou nós, assim, na base do pá-puf, né?] o segundo semestre e ja atingimos a topo [tenho muito medo dessa topo. Será que eles escalaram a Gisele Bündchen, e conseguiram ver o cocoruto dela? Ou teria sido a Anna Hickman? Acho que a Anna Hickman é mais alta que La Bündchen! ] das metas de nossas clientes.[é, deve ter sido isso mesmo. Os clientes deles são tudo mulher. E eles escalam a topo delas, pra verem o cocoruto. Então, vocês já viram qual é o público-alvo deles, né? Altas top models… – com trocadilho, por favor!]

Olha, eles bem não merecem, mas eu vou melhorar a bagaça:

O Marketing Digital é a melhor forma de se obterem resultados na internet e gerarem lucros para a sua empresa a partir da divulgação da sua marca. A Empresa Tal é considerada uma das mais preparadas agências do ramo. Mal começou o segundo semestre, e o topo das metas de nossos clientes já foi atingido.

Mas espere! Tem mais amebice! Vamos lá:

Qual a sua necessidade? [Não sei se acontece com vocês também, mas toda vez que eu leio em algum lugar que não-sei-quem “atende às suas necessidades”, eu imediatamente me lembro do Alfredo, do papel higiênico Neve. Taí um homem que atendia às necessidades das pessoas: o cabra está no banheiro, acabou de fazer cocô e recém-descobriu que não tem papel higiênico. Daí, ele grita: “Alfredoooo!”, e o Alfredo traz o papel higiênico que atende às necessidades do cabra. Mas aí já entramos no campo da implicância pura. Ainda assim, não gosto que alguém vire pra mim e me diga que vai atender às minhas necessidades. Das minhas necessidades cuido eu, oras! Que falta de cerimônia!]

A Empresa Tal desenvolve soluções baseadas em suas necessidades específicas [Papel higiênico com folha dupla, papel higiênico perfumado, papel higiênico com estampa de ursinho de pelúcia, papel higiênico com…] . Veja algumas das necessidades em que atuamos. [dinoooooooooovoooooo!!! De terceira do singular pra rimeira do plural! Eles são mágicos – de bosta!]

Cara, eu tô muito boazinha hoje… ‘bora melhorar mais esta bagaça!

Você precisa de quê? [ficou mais forte, né? De nada…]

A Empresa Tal vai desenvolver um trabalho especialmente voltado para você. Confira algumas de nossas especialidades. [ficou mais forte, né (dinovo)? De nada (dinovo)…]

Antes de tentarem o ramo do marketing (digital, analógico o que quer que seja), eles bem que podiam se especializar em português fluente, né?

Por que me ufano de Chico Bento

quinta-feira, agosto 13th, 2009
"Creidi? Quem é essa sirigaita?" Miacaaaaabo!!

"Creidi? Quem é essa sirigaita?" Miacaaaaabo!!

Miacaaaaaaaaaabo com o Chico Bento!

Esse quadrinho está na página 18 da revistinha dele, edição deste mês. Aliás, se você quiser manter o bom nível de suas leituras, recomendo veementemente que troque revista Veja por Chico Bento.

Na historinha de abertura, Zeca, o primo do Chico Bento que mora na cidade, foi com a namoradinha Denise pra roça, fazer uma festa rave de aniversário.

Nesse quadrinho, o Chico, totalmente envolvido com os preparativos para o evento que “causou na roça”, recomenda à Rosinha que faça um upgrade. E a Rosinha fica doida pra saber “quem é essa sirigaita dessa Creidi”.

Amo quem destrói com tanta classe e deboche as macaquices dos anglicismos que, de tão incorporados ao nosso dia-a-dia (com hífen, pelamordedeus!) já nem incomodam mais aos nossos ouvidos conformados.

E não pensem vocês que o Chico Bento é o meu personagem favorito. Prefiro o Zé Lelé.

Tadinha da tia Maricota…

quarta-feira, julho 29th, 2009

Geeente… tô passada!

Pra começar: passou a fase emotiva, tá? As amebas apareceram, surtaram com amebices, e o meu lado romântico e frufru voltou a dormir!

E quem conseguiu ninar meu lado frufru? Uma funkeira. Mais precisamente a guerrilheira do funk. Lembra dela?

Ó, vou te contar, viu? Da outra vez (e não da vez passada, porque aqui nós não sabemos como assar vespas), ela ficou mordida ao ser nocauteada pelo quarteto pontuação, gramática, ortografia e sinonímia! E convocou reforços: a atriz artista celebridade ah, a Leila Lopes! Mas não teve jeito: pontuação e ortografia continuam mais poderosas do que nossa brava guerrilheira, e mais uma vez a levaram à lona!

Confiram o relíze publicado no Te dou um dado? (e eu ainda tenho outro relíze que a Lele do TDUD? me enviou pra publicar. Mas uma coisa de cada vez!).

Vou combinar de abstrair a pontuação nos comentários que farei abaixo, mas vou destacá-la todinha no texto corrigido.

MC DANI LOPES  CONHECIDA  COM GUERRILHEIRA DO FUNK FAZ HOMENAGEM A LEILA LOPES SEU IDOLO [eparrê-iansã! Acreditem se quiserem: seu ídolo aqui está corretíssimo. Mas o que tem de correto tem de feio. Vou sair pela tangente no texto corrigido.] COM O FUNK DA PROFESSORINHA [A bença, tia Maricota! Isso é que é vingança de guerrilheira nocauteada!] AO VIVo NO SEU PROGRAMA  ENTRE 4 PAREDES DA JUST TV , LEILA  NÃO SE CONTEVE  COM A  HOMENAGEM E CAIU EM PRANTOS [Minha dúvida aqui é se ela chorou pelo mesmo motivo que eu choraria, ou se foi realmente muita emoção pro caminhãozinho dela]. ´´ GENTE ISSO NÃO E ARMAÇAO , NUNCA VI ESTA MENINA , NÓS SABEMOS QUANDO O CARINHO DE FÃ E VERDADEIRO  E ELA ETRNIZOU O PERSOGEM  “ PROFESSORINHA“ SOU MADRINHA DE VCS SIM  , ASSINO EM BAIXO, [embaixo se escreve junto!] E APRESENTO VOCES NA MIDIA E EM QUALQUER LUGAR QUER VOCÊS FOREM“AFIRMA LEILA LOPES

[arf, arf, arf, arf, arf, arf…. arf, arf, arf, arf, arf…]

FUNK DA PROFESSORINHA – A onda agora é a da professorinha ,leila lopes e sussesso [sussesso é o sucesso tipicamente vivido por ofídeos. Imagine, portanto, uma cobra falando: susssessssso. Pronto! Nem precisa contar essa como erro de ortografia!] ate no ritimo [ritimo? Sei, sei. Esse i extra é pra dar… cadência, né? Depois eu elogio texto de banco e tem cabra que quase me crucifica…] funk.

Sua beleza contagia e sou [OK, vamos deixar isso prá lá, né? Foi só um errinho de teclado. Erro simétrico, porque o dedo da mão esquerda que tecla no e é o equivalente ao dedo da direita que tecla o o] sorrizo [AH, TÔ PERDOANDO DEMAIS!!!! SORRISO É COM ÉSSE!!!] e [aqui eu já deixo de perdoar a falta de acentos] radiante. Ela e [aqui também eu  deixo de perdoar a falta de acentos] a professora mais amada do brasil, [e aqui, eu não perdoo o Brasil em caixa baixa. Se bem que, como diria o meu pai, “para o que se presta, bacalhau basta“. Por que justo aqui o Brasil receberia a reverência de uma maiúscula, né? Isto é o que nosso país tem de mais minúsculo…] [Repetem-se os versinhos, repetem-se meus comentários:] Ela e [aqui também eu  deixo de perdoar a falta de acentos] a professora mais amada do brasil, [e aqui, eu não perdoo o Brasil em caixa baixa. Se bem que, como diria o meu pai, “para o que se presta, bacalhau basta”. Por que justo aqui o Brasil receberia a reverência de uma maiúscula, né? Isto é o que nosso país tem de mais minúsculo…]

Bom, sem mais delongas ou maiores discussões, vamos logo corrigir o texto por Tutatis, antes que o céu caia sobre nossas cabeças (/gauleses)!

MC Dani Lopes-vírgula, conhecida como Guerrilheira do Funk, fez homenagem a Leila Lopes-vírgula, de quem é fã-vírgula, [arrá!] com o funk da professorinha-ponto.  A homenagem ocorreu ao vivo-vírgula, em seu programa -abre aspas”Entre quatro paredes-fecha aspas”, transmitido pela Just TV-ponto. Leila não se conteve com a homenagem e caiu em prantos-dois pontos, abre aspas: “Gente, isso não é armação, nunca vi esta menina, nós sabemos quando o carinho de fã é verdadeiro-vírgula, e ela eternizou o personagem  “professorinha”-ponto. Sou madrinha de vocês, sim, assino embaixo e apresento vocês na mídia e em qualquer lugar quer vocês forem”-vírgula, afirma Leila Lopes.

FUNK DA PROFESSORINHA – A onda agora é a da professorinha, Leila Lopes é sucesso ate no ritimo funk.

Sua beleza contagia e seu sorriso é radiante. Ela é a professora mais amada do Brasil, é a professora mais amada do Brasil.

Tadinha da tia Maricota… ganha tão pouco e, na hora de ser homenageada enquanto professora, é comparada a atriz pornô e ainda recebe um texto desses no meio das ideias… Oremos por tia Maricota, porque essa lutadora daí de cima é caso perdido… Já não basta apanhar repetidas vezes de dona Ortografia e de dona Pontuação, cáspita?!?!?!

MC DANI LOPES  CONHECIDA  COM GUERRILHEIRA DO FUNK FAZ HOMENAGEM A LEILA LOPES SEU IDOLO   COM O FUNK DA PROFESSORINHA AO VIVo NO SEU PROGRAMA  ENTRE 4 PAREDES DA JUST TV, LEILA  NÃO SE CONTEVE  COM A  HOMENAGEM E CAIU EM PRANTOS. ´´ GENTE ISSO NÃO E ARMAÇAO , NUNCA VI ESTA MENINA , NÓS SABEMOS QUANDO O CARINHO DE FÃ E VERDADEIRO  E ELA ETRNIZOU O PERSOGEM  “ PROFESSORINHA“ SOU MADRINHA DE VCS SIM  , ASSINO EM BAIXO,E APRESENTO VOCES NA MIDIA E EM QUALQUER LUGAR QUER VOCÊS FOREM“AFIRMA LEILA LOPES
FUNK DA PROFESSORINHA – A onda agora é a da professorinha ,leila lopes e sussesso ate no ritimo funk.
Sua beleza contagia e sou sorrizo e radiante. Ela e a professora mais amada do brasil,ela e a professoa mais amada do brasil.

O Pantaleão dos deuses

quarta-feira, julho 29th, 2009
É mentira, Terta? (Charge de Amarildo inserida sobre foto do Panteão de Roma)

É mentira, Terta? (Charge de Amarildo inserida sobre foto do Panteão de Roma)

Tudo ia muito bem, quando este texto aqui sobre história e evolução das artes começou a circular pelo Twitter. Vários piadores abespinharam-se com este trechinho aqui, que falava de Roma:

(…) O Coliseu, enorme anfiteatro no centro velho da cidade e o Pantaleão, templo dedicado a todos os deuses, são exemplos da engenharia arquitetônica (…)

Hein? Como? Por exemplo? Cadê? como assim, o Pantheon ou Panteão, virou Pantaleão? ‘Bora jogar no Google, né? Vai que é assim em Portugal e nós, bando de enguinhorantes, não sabemos disso?

Mas Senhor Google disse que não, que é Pantheon ou Panteão, mesmo. E que Pantaleão é nome de santo. Ou o personagem do Chico Anísio.

Então, o sujeitim errou, né? Olha, eu só identifiquei esse errinho daí de cima. Mas uma querida ectoplasma suína fez um verdadeiro contra-tratado de amebices (que ela chamou de salsinhas) do texto. Vou colocá-lo no final deste post, sob o título “História da Arte”, pra você ler com toda calma, enquanto enfrenta o trânsito de São Paulo, ou fica na sala de espera do aeroporto, ou seja lá o que você tiver que fazer que lhe tome muito tempo. O texto tá bom, e tá looongo!

Aqui no corpo deste post limito-me apenas a mostrar o comentário irado (sem gírias, porque a moça ficou irritadíssima) da querida ectoplasma suína a respeito do Pantaleão:

QUEEEEMMM???  Aqui a salsinha histórica atinge seu apogeu: não seria PANTEÃO, de pan (todos) e theos (deuses), caro colega? O Panteão de Agripa (cônsul romano) é um dos poucos edifícios que sobreviveram às inúmeras reformas que a cidade de Roma sofreu ao longo dos séculos. Ele data do ano 27 d. C., durante a República Romana, e foi todo reformadinho em 125 d. C. pelo imperador Adriano, para servir como uma espécie de templo ecumênico e agradar assim a todos os deuses dos povos conquistados por Roma. Só para constar, Pantaleão é um personagem da commedia dell’arte, um velho ranzinza e muquirana, que geralmente é espezinhado no final da peça

Como vocês podem perceber, este caldeirão aqui está contando até com assessoria para assuntos de história das artes… estamos ficando muito chiques! 🙂

Ói o link para o arquivo dela historiadaarte.

"Estrupo" impune há dois meses

quarta-feira, julho 15th, 2009
60 dias de impunidade. Onde nós vamos parar?

60 dias de impunidade. Onde nós vamos parar?

Algumas horinhas no telefone com Ju Sampaio fazem bem a qualquer pessoa. Ri muito e ri alto com os exemplos de alunos-ameba que ela tem. Professora, eu tô plasma com isso!, ou Concordo em gênero e número igual, professora!” são coisas que ela escuta todos os dias. [A aluna que fica plasma poderia usar um pouco de LCD prá ficar doidona, né? Não, melhor não.]

Mas assustador mesmo foi o que ela me mandou por e-mail logo depois de nossa conversa. Viram a teteia daí de cima? O original tá aqui.

Reparem na data de publicação e na data de hoje: 60 DIAS!! 60 DIAS E NINGUÉM CONSERTOU A BAGAÇAAAA!!!

Crianças, entendam uma coisa: errar é humano. Persistir no erro é amebice. Palavras como estupro e exceção foram feitas para a gente tropeçar nelas. Toda vez que você tiver que digitar uma palavrinha mais tropeçante, pare e releia. Veja se você escreveu direito. Se não escreveu direito, “botão de backspace, tamojuntoooo!“. Simples. Tanto foi erro de distração/digitação que o subtítulo está grafado corretamente. E juro que eu vou abstrair o maniaco sem acento.

A dor latejante do verbo trazer

terça-feira, julho 14th, 2009

Temo muito a irmã Selma que vive dentro de mim. Eu penso numa coisa e ela acontece.

Tava aqui lamentando que há muito tempo não tenho maus exemplos de textos de assessorias de imprensa. E não é que acaba de me aparecer um? Este aqui fala sobre um cabeleireiro que foi a Nova Iorque em busca de tendências. Acompanhem:

Cabeleireiro Tal trás [Cristorreimesalvaaa!!!! A ameba mistura o verbo trazer com o advérbio atrás!!!!! Dona ortografia acaba por levar uns safanões por tabela, coitada!] tendências de verão direto da Feira Internacional de Beleza em Nova York [Bom, eu prefiro grafar essa cidade como Nova Iorque, mas o Manual do Estadão diz que a cidade dos EUA é grafada como Nova York, enquanto a cidade homônima localizada no Maranhão é que recebe a grafia Nova Iorque. Argumento risível, mas fazer o quê?].

(…)

Os cortes podem ser de todos os tamanhos [dois pontos aqui] curto, médio, longo, desfiado [aqui faltou uma vírgula] leve, ondulado, o importante é que  os cabelos apresentem  bastante movimento e [em vez de um e aqui, o melhor seria um ponto. Mas nada grave aqui] o mesmo vale para a coloração, tom sobre tom, sem contraste. Os lançamentos para o cabelo são shampoos e condicionadores já com proteção solar em sua [shampoos e condicionadores têm proteção solar em suas fórmulas fórmula e finalizadores com aroma de frutas para brilho e realce da cor.

As novidades nas maquiagens ficam por conta das peles super bronzeada [olha, aqui eu até consideraria distraçãozinha, errinho de dedo etc. Mas esse texto tá tão nas coxas que a sensação é de que o erro foi doloso, não culposo!] , com produtos iluminadores, que deixam o corpo como bronzeado, além de sprays, pó compacto, entre outros. Os olhos ganham destaques com cílios grandes (cílios postiços) e tons de pretos levemente esfumaçados, [aqui não tem negociação. É ponto e pronto!] este ano a tendência será menos contraste [a tendência será menos contraste? Masquefrasezinhadebostaaa!] , na boca os destaques ficam com os batons rosa claro e cor de boca.

Para finalizar as dicas de esmalte mais solicitados serão rosa e toda a variedade de Pink Neon ao Rosa bebê [aqui vale o conjunto da obra, né? Primeiro, a falta da vírgula depois do finalizar; depois, o esmalte mais solicitados, e para fechar com chave de papelão, a falta de vírgula total] .

O que mais doi nesse texto A dor que começa a latejar no texto é a amebice com relação ao verbo trazer. A raiz dele é traz-. Ora, o faz parte da raiz do verbo, por mais irregular que ele seja (e essa praga de irregularidade é epidêmica em seu irmão espanhol traer). Nas conjugações de trazer, o é substituído por xisou érre.

Por falar em conjugações do verbo trazer, você já respondeu à enquete sobre a primeira pessoa do singular do pretérito perfeito do verbo trazer? Ah, por favor, me ajude!!! (/ironia). Mas, enfim, no presente do indicativo, temos as conjugações eu trago, tu trazes, ele traz.

A palavra trás é preposição ou advérbio. Segundo o Aurélio (Tio Antônio, tamo juntoooo!!! Tô com saudadesss! Mande notícias! Beijo, me liga!):

Trás
Prep. e adv. 1. Atrás, Detrás.  2. em seguida, após.

Enfim, ‘bora reescrever a bagaça:

Cabeleireiro Tal traz as tendências de verão direto da Feira Internacional de Beleza em Nova York [Ah, deixa com Y e K, mesmo! Essas letras voltaram com tudo no alfabeto, são tendência na nova coleção ortográfica Nossa Língua Portuguesa…]

(…)

Os cortes podem ser de todos os tamanhos-dois pontos: curto, médio, longo, levemente desfiado [obrigada, Rafaela! Mas vamos combinar que “desfiado leve”, como dizem as amebas-pelo-cortantes,  não pode, né? Levemente desfiado fica beeem melhor!], ondulado-ponto. O importante é que  os cabelos apresentem  bastante movimento-ponto. O mesmo vale para a coloração, tom sobre tom, sem contraste. Os lançamentos para o cabelo são shampoos e condicionadores já com proteção solar em suas fórmulas e finalizadores com aroma de frutas para brilho e realce da cor.
As novidades nas maquiagens ficam por conta das peles superbronzeadas (e sem espaços), com produtos iluminadores, que deixam o corpo como bronzeado, além de sprays e pó compacto, entre outros. Os olhos ganham destaques com cílios grandes (cílios postiços) e tons de pretos levemente esfumaçados-ponto. Este ano-vírgula, a tendência será de cores com menos contraste-ponto. Na boca-vírgula, os destaques ficam com os batons rosaclaro e cor de boca.
Para finalizar-vírgula, os esmaltes mais solicitados serão toda a variedade de tons de rosa, desde o Pink Neon até o Rosa bebê.

Atualização do dia 15/7 às 18:20:

Mais um comentário pertinente. Desta vez foi a Rafela quem fez a observação. E só por causa dessa observação, vou alterar o texto em azul, aí em cima.
Eu imagino que a ameba queria realmente dizer “desfiado leve”. É uma expressão comumente usada nos salões que freqüento ou já freqüentei (desculpe-me pelo trema, mas para mim é muito doloroso abandoná-lo… Aos poucos, eu consigo). Refere-se ao desfiado só nas pontas, não deixando as camadas repicadas muito visíveis.
Rafaela, não se lamente pelo trema. Eu também acho ele fofo demais pra ser abandonado e desprezado assim, de uma hora pra outra. e, como meu sobrenome não é Müller, tenho que me valer de freqüências e ungüentos, por exemplo… Obrigada pela observação, e volte sempre!

RW trás tendências de verão direto da Feira Internacional de Beleza em Nova York
Para finalizar as dicas de esmalte mais solicitados serão rosa e toda a variedade de Pink Neon ao Rosa bebê das marcas Dior e Chanel.
(…)
Os cortes podem ser de todos os tamanhos curto, médio, longo, desfiado leve, ondulado, o importante é que  os cabelos apresentem  bastante movimento e o mesmo vale para a coloração, tom sobre tom, sem contraste. Os lançamentos para o cabelo são shampoos e condicionadores já com proteção solar em sua fórmula e finalizadores com aroma de frutas para brilho e realce da cor.
As novidades nas maquiagens ficam por conta das peles super bronzeada, com produtos iluminadores, que deixam o corpo como bronzeado, além de sprays, pó compacto, entre outros. Os olhos ganham destaques com cílios grandes (cílios postiços) e tons de pretos levemente esfumaçados, este ano a tendência será menos contraste, na boca os destaques ficam com os batons rosa claro e cor de boca.

A transubstanciação virtual do foco

segunda-feira, julho 13th, 2009
O espaço do foco, o tempo do prazo e o milagre da transubstanciação

O espaço do foco, o tempo do prazo e o milagre da transubstanciação

Pronto! Típica amebíase de segunda(-feira)! Depois ninguém entende por que eu surto e fico de mau humor às segundas!!

Olha só o que a Folha de SPaulo, a mosca da sopa dos brasileiros, aprontou. A prova tá aqui. Foi entrevistar um gringo, e o repórti (ô, raça!) traduziu o focus do inglês do professor da LSE para esta coooooooooooooisa daí de cima!

Foco de curto prazo!!!! GAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!

O foco, aquele fenômeno óptico, que originalmente envolvia área, região, superfície (o foco da lente está na mamãe e na árvore atrás dela), foi transubstanciado para uma definição temporal!

Pra quem não entendeu, a explicação de primo Michaelis:

transubstanciação
tran.subs.tan.ci.a.ção
sf (transubstanciar+ção) 1 Conversão de uma substância noutra. 2 Teol catól rom Transformação da substância do pão e do vinho, durante a consagração da missa, na substância do corpo e sangue de Jesus Cristo

transubstanciação
tran.subs.tan.ci.a.ção
sf (transubstanciar+ção) 1 Conversão de uma substância noutra. 2 Teol catól rom Transformação da substância do pão e do vinho, durante a consagração da missa, na substância do corpo e sangue de Jesus Cristo

Ô, saco!!! O foco pode estar num trecho pequeno, numa área restrita, num cantinho da tela, mas não NUM CURTO PRAZO, CÁSPITAAAAAAAA!!!!!

Folha, que tal dizer que o Bolsa Famíla dá destaque, dá atenção, ou mesmo que o Bolsa Família demora-se com a distribuição de dinheiro a curto prazo?!?!?!?! Não tem mais a ver, não?

Pô, vocês sabem fazer direito! A prova está aí em cima, mesmo! Trocaram foco por alvo! Custa mirar direito até o fim do texto, custa?!?!!?

E anotem: o Daniel Penasio me deve um antiácido por ter me enviado esta teteia! (Obrigada pela teteia, Daniel. Tô esperando o antiácido!)

Objetivando reciprocitar

domingo, julho 12th, 2009
Perdão, eu não entendi direito. Dá pra repetir?

Perdão, eu não entendi direito. Dá pra repetir?

Essa veio da Twitess. Que, pra mim, é mais ou menos como o caviar do Zeca Pagodinho: nunca vi nem ouvi, eu só ouço falar (tá, mudei o segundo verbo para não dar margem a interpretações dúbias). Não sei quem é, mas pelo nível do texto posso inferir que o dicionário não é o melhor amigo da tchutchuca, né?

Tenho medo de conjugar o verbo reciprocitar. E tenho medo de pensar no substantivo relativo a ele. Porque a reciprocidade é moça honesta, de família, não tem nada a ver com essas aberrações, não! A reciprocidade vai à missa todos os domingos, não fica reciprocitando impunemente Twitter afora. Tão pensando o quê?

A Twitess  que fique atenta, porque se a reciprocidade se ofende com alguém, envia uma prima sua para tomar satisfações, que atende pela singela alcunha de reciprocação. O soco da reciprocação doi na alma, até o Chuck Norris teme a reciprocação.

Se a Twitess tivesse conversado com padrinho Aurélio (tô órfã de Tio Antônio que, desgostoso com tanta amebice, abandonou seu puxadinho virtual no UOL. Tenho que adquirir um CD-ROM do tio Antônio o mais rápido possível. Enquanto isso não acontece, deixa eu abrir as vetustas páginas impressas do Aurélio, que já quebram um galho danado!), ela teria descoberto que ela poderia ter reciprocado – por mais feio que soe reciprocar. De acordo com o padrinho, reciprocar é:

V. t. d. 1. Tornar recíproco; dar e receber em troca; trocar, mutuar.
2. Compensar, substituir.
T. d. e i. 3. Mutuar, trocar.
P. 4. Estar em correlação, corresponder-se
5. suceder alternadamente, alternar[-se]
[Conjug.: v. trancar.]

Isso, é claro, se estiver correta a minha premissa de que o que a Twitess quis dizer foi o que eu acabei de listar.

Michael Jackson e o tráfico do Estadão

quinta-feira, julho 9th, 2009
Trânsito de carros ou de produtos ilícitos?

Trânsito de carros ou de produtos ilícitos?

Agora me digam: prá quê eu fui ligar o computador hoje? Tenho um armário pra arrumar, minha secretária para assuntos de asseio doméstico (/faxineira) está chegando e eu ainda não comecei nada!

Daí, eu resolvo ver qual é a tal da capa do Estadão de hoje que vai fazer o Sarney definitivamente arder nos fogos dos infernos, e me deparo com esta coisa aí de cima. Já foi consertada, mas os deuses do print-screen me protegem.
Coitado do Michael Jackson! Depois de morto, ainda é acusado de tráfico pelo Estadão!!!! Mas isso só ocorre na home do Estadão; no link para a matéria, o texto está correto:
Memorial de Jackson custou US$ 1,4 milhãoGastos foram destinados à segurança, controle de tráfego e outros serviços da cerimôniaAssociated Press Tamanho do texto? A A A ALOS ANGELES – A cidade de Los Angeles disse que gastou oficialmente US$ 1,4 milhão em segurança, controle de tráfego e outros serviços em torno do evento do memorial de Michael Jackson.
Memorial de Jackson custou US$ 1,4 milhão
Gastos foram destinados à segurança, controle de tráfego e outros serviços da cerimônia
LOS ANGELES – A cidade de Los Angeles disse que gastou oficialmente US$ 1,4 milhão em segurança, controle de tráfego e outros serviços em torno do evento do memorial de Michael Jackson. (…)
Isso ocorre porque a Língua Portuguesa dispõe de duas palavras (tráfego e tráfico), que definem situações bem diferentes, que significam o que, em inglês (/língua bárbara) só é definido com uma palavra: traffic.
Menos mal que o Estadão já corrigiu o erro. Mas que errou, errou!
(P.S.: eu daria tudo pra saber o que se passou pela cabeça do Obama pra ele fazer aquela cara…)

Daí, eu resolvo ver qual é a tal da capa do Estadão de hoje que vai fazer o Sarney definitivamente arder nos fogos dos infernos, e me deparo com esta coisa aí de cima. Já foi consertada, mas os deuses do print-screen me protegem.

Coitado do Michael Jackson! Depois de morto, ainda é acusado de tráfico pelo Estadão!!!! Mas isso só ocorre na home do Estadão; no link para a matéria, o texto está correto:

Memorial de Jackson custou US$ 1,4 milhão

Gastos foram destinados à segurança, controle de tráfego e outros serviços da cerimônia

LOS ANGELES – A cidade de Los Angeles disse que gastou oficialmente US$ 1,4 milhão em segurança, controle de tráfego e outros serviços em torno do evento do memorial de Michael Jackson. (…)


Tudo porque a Língua Portuguesa dispõe de duas palavras (tráfego e tráfico) que definem situações bem diferentes. Mas em inglês (/língua bárbara), essas duas situações são definidas igualmente com uma única palavra: traffic.

Menos mal que o Estadão já corrigiu o erro. Mas que errou, errou!

(P.S.: Eu daria tudo pra saber o que se passou pela cabeça do Obama pra ele fazer aquela cara…)

Mulher mesbla

terça-feira, julho 7th, 2009

Outro dia lí num jornal (acho que foi no O Globo) que um porteiro apresentou um apartamento pequeno para alugar, dizendo que as moças que alí moraram eram mesblas.

Ótimo nome para a homosexualidade feminina.

Mais uma de papai… os neurônios dele estão funcionando direitinho, né?

Outro dia li num jornal que um porteiro apresentou um apartamento pequeno para alugar, dizendo que as moças que ali moraram eram mesblas.

Ótimo nome para a homossexualidade feminina…

Câncer com metáfora

terça-feira, julho 7th, 2009
Estava agora lendo o Objetivando e ao ler a nota sobre os graus centímetros que estão tratando pacientes de câncer, veio a lembrança de um amigo que ao saber que a doença de um conhecido havia se espalhado por todo o corpo disse :- Então ele teve metáfora.
Tadinho ele mesmo mesmo teve um câncer, deu metáfora e morreu.
Outro dia lí num jornal (acho que foi no O Globo) que um porteiro apresentou um apartamento pequeno para alugar, dizendo que as moças que alí moraram eram mesblas.
Ótimo nome para a homosexualidade feminina.

Papai lembra-se de vários causos divertidos quando lê este caldeirão aqui. Deixemos que ele nos conte uma dessas lembranças:

Ao ler a nota sobre os graus centímetros que estão tratando pacientes de câncer, veio a lembrança de um amigo que, ao saber que a doença de um conhecido havia se espalhado por todo o corpo disse :

– Então ele teve metáfora.

Tadinho, ele mesmo teve um câncer, deu metáfora e ele morreu.

[suspiro]… câncer com metáfora deve ser pior do que câncer com metástase, né?

Móveis de qualidade, português meia boca

terça-feira, julho 7th, 2009

… mas esta foto aqui não é resultado de falta de estudo, não. Foi o que eu falei no post abaixo: isso aqui é obra de ameba, que pôde estudar e estudou, e ainda assim faz bosta.

IMG_0669 cópia

Os móveis cabe tudo no bolso, é?

Além da concordância nominal inexistente, o estabelecimento comercial acima se apresenta no cartazão como loja de casa de bonecas.

Só assim para os móveis caberem no bolso, né?

Pra quem quer saber: a lodjeenha fica em Santos (SP). Onde, exatamente, não sei.

(E a única coisa que fiz no Photoshop com esta foto foi aumentar o cartaz, para que ficasse legível. Até porque meus conhecimentos photoshópicos não vão muito além disso… )

Alfisina mecanica

terça-feira, julho 7th, 2009

Alfisina

Foto enviada por papai. Segundo ele, é nesse lugar que você arresorve os pobrema de infecção eletrônica nos carros.

É legalzinha, mas eu tenho pena. Isso é resultado de falta de estudo. Meu alvo preferido aqui são as amebas, que puderam e estudaram, e mesmo assim fazem bosta.

Comida de faraó

segunda-feira, junho 29th, 2009

Resolvi conferir a dica que a Rosana Hermann enviou via Twitter. E me assustei. Mas acho que, no frigir dos ovos (com duplo sentido, por favor), esse texto só vem dar mais destaque ao que venho defendendo aqui desde que este caldeirão foi aberto a visitações.

Tenho horror a texto mal escrito, como vocês já devem ter percebido. Os textos são uma forma de você expressar o que você pensa, faz da vida, enfim, é a sua comunicação com o mundo além dos seus neurônios. Se você não souber fazer isso direito, o mundo não te compreende. Se você falar de qualquer jeito do seu trabalho, vai vulgarizar a sua carreira, o seu ganha-pão. E pode até dificultar a entrada de grana no fim do mês.

Por quê todo esse discurso pseudo-politicamente correto? Porque eu li um texto qualquer, escrito de forma qualquer, pra dizer qualquer coisa. Se fosse mulher, esse texto seria chamado de rameira, de mulher da vida (como se prostitutas tivessem vida fácil, mas deixa isso prá lá). O que mais me assusta é que esse texto pretende-se a vender os serviços de um…. motel!

Estou falando da tchutchuca contida nesta página aqui. Não vou entrar aqui no mérito dos nomes dos pratos de restaurantes, se eles devem ser traduzidos ou não. O que mais me incomodou foi o pouco caso que o motel tem com o queridocliente. Pretendendo-se chique e eficaz, brindou os internautas com este desfile de lugares-comuns:

O Egytus oferece um cardápio com uma ampla variedade [ampla? 12 pratos entre massas, carnes e peixes e ele chama de ampla?] de pratos que atende a todas as preferências [tem certeza? e se eu não gostar de nada do que vocês servem, vocês atendem às minhas necessidades?] , além da rapidez na entrega.
Nossa cozinha padrão internacional
[como assim, padrão internacional? O que seria esse padrão, e qual diferença dele para o padrão nacional?] funciona 24  horas, preparando [gahhhhhh!!!! O-DEI-O ESSES GERUNDINHOS DE BOSTA QUE SURGEM DO NADA NO MEIO DAS FRASES!!] os mais sofisticados pratos [isso é um motel ou um restaurante de alta gastronomia?] sempre no momento em que são pedidos [ah, que bom, não? A gente pede um prato e eles servem na hora! Que inovação no conceito de atendimento…]
.
Oferecemos pratos saborosos
[Jura? Não é gororoba, não?  E se fosse uma gororoba, você iria avisar aos queridosclientes?] feitos com ingredientes de primeira qualidade [Jura de novo? Puxa vida, quanta inovação no atendimento!! prato gostoso, feito com ingrediente diqualidadi!]
.

Daí, o cardápio oferece maravilhas, como FILÉ AVIANENSE ou então o ESCALOPE DE FILÉ PUAVEL.

Pô, se a cozinha é tão diqualidadi assim, meu tio, que tal ao menos escrever corretamente os nomes dos pratos que ela oferece? Ou cozinha, no seu motel, nada mais é do que um trocadilho com os… demais canais do queridocliente?

É, hoje é segunda-feira e eu estou de mau humor! Tá olhando o quê, hein?

Britânico "ressucitado" pela BBC passa incólume por revisores

segunda-feira, junho 22nd, 2009
Saiu assim no Ig, no Estadão e.. ah, confira no Google!

Saiu assim no Ig, no Estadão e.. ah, confira no Google!

Tava aqui quietinha, preparando a sessão de “tio Antônio falou” inspirada pela Juzinha, quando me deparo com a manchetinha safada do Ig, que está aí em cima. A prova do crime já foi removida da página inicial do nosso portal-ameba preferido, mas lá dentro do último Segundo, o crime de lesa-ortografia continua incólume.

A historinha em si pode até ser interessantezinha: um britânico de 35 anos teve um ataque cardíaco fulminante. A namorada ligou pras equipes de salvamento que chegaram e baixaram o sarrafo do desfibrilador no peito do cabra (ou goat, já que ele é britânico) não duas ou três, mas 12 vezes – procedimento fora dos padrões nesses casos. Graças a Deus, tudo deu certo e o goatvivim da silva.

Dona Ortografia é que sofreu sequelas com o ocorrido. Por engano, o desserviço em português da BBC esqueceu do ésse do ressuscitado justo no título da matéria. Coisa que acontece, ainda mais em se tratando de agência de notícias (esta que vos fala já trabalhou na France-Presse, e sofria com a equação enviar o texto o quanto antes versus enviar o texto bem revisado), que sempre deixa passar este ou aquele errinho de revisão/releitura nos textos enviados. Tanto foi erro de revisão que no primeiro parágrafo o ressuscitado saiu certinho, como vocês podem conferir no texto.

O que não pode é os queridos portais reproduzirem a coisa do jeito que chega, sem nem ler direito. Quando eu vi que a prova do crime de lesa-ortografia havia sido removida da home do Ig, joguei no Google, contando com os bons eflúvios dos deuses do cache. E descobri que o Estadão (reincidência, ebaaaa!) também caiu na esparrela do britânico ressucitado. Mas como vocês podem conferir no print-screen do Google, o Estadão estava muito mal bem ah, deixa prá lá  acompanhado na supracitada esparrela ortográfica. Salvaram-se apenas Terra e o jornal carioca O Dia.

A semana promete, viu?

Professora Ju e a ameba mininstrante

segunda-feira, junho 22nd, 2009

Se Luis Fernando Verissimo vez que outra recebe cartas da ravissante Dora Avante, eu recebo missivas da não menos importante  porém verdadeira-de-carne-e-osso professora Jurema Sampaio – que colou meleca na cruz, tadinha dela…

Desta vez, nossa querida acadêmica enfiou-se pelos bravios mares de um curso de criatividade nas aulas de arte. Permitam-me transferir a palavra a ela, porque a historinha é deliciosa… Juzinha é ectoplasma suína de carteirinha – e eu miacaaaaaaaaaaabo com as historinhas dela! E depois, vamos falar com tio Antônio sobre a dúvida da ameba mininstrante

Ok, amiga, eu pedi… Com um título destes [Criatividade nas Aulas de Arte] só podia dar em bosta, mas fui…

Na primera aula, a coisa (Professora sou eu… aquilo era uma coisa mesmo…) que mininstrava (segundo a própria…) as aulas, começou a PRIMEIRA aula com o tema Ilusão de ótica. No título do ppt da criatura estava escritinho assim: ILUSÃO DE ÓTICA. A criatura leu o título (como se fôssemos todos analfabetos, mas, enfim…) e, em seguida, fez o comentário mais fantástico que já ouvi sobre o tema: Olha, gente, em diversos livros vocês vão encontrar escrito de formas diferentes. Varia de ótica e óptica… Eu acho que nos antigos estava escrito óptica porque era a maneira de escrever antigamente, nos livros mais novos se escreve ótica mesmo.

Menina, a coisa me incomodou e, meio sem graça, interrompi dizendo (Ok, eu e minha enorme boca… assumo…) que não era bem isso, não… Que ótica, sem o p, refere-se a ouvido, e com o p, óptica, refere-se aos olhos. Não tem nada a ver com a idade do livro…

A coisa não gostou da minha interferência e, desafiadora, me perguntou: Escuta aqui, você é professora? Eu disse que sim… e ela continuou … de português? Respondi que não, sou professora de arte. Ela, triunfante (Como se por ser professora de arte eu tivesse que desconhecer o idioma…), disse: e como você sabe disso?

Sério, não me segurei mais mesmo e lasquei “bom, sei disso porque fui alfabetizada e não sou burra… só isso… [miacaaaaaaaaaaaaaaabo com a Juzinhaaaaa!!]

A dona-coisa amarrou uma tromba, não respondeu e seguiu a aula. Pelo início, você pode imaginar a série de bobagens que se seguiram, né? Nem preciso dizer que, das oito aulas previstas para o fantástico curso, eu só assisti a meia. Ou melhor, quase meia… No intervalo do café eu saí à francesa e nunca mais voltei…

Ando com uma gastura pra burrice que pelamordeDeus! Fala sério, sou eu quem está muito exigente ou os povo anda abusando do direito de falar bosta? Hum?

Beijocas grandes pra todos da família!
Ju

Olha, Ju, as amebas estão cada vez mais se reproduzindo, seja por bipartição ou por contaminação de burrice, mesmo… o que mais me espanta é que a tchutchuca daí de cima consultou um monte de livros sobre arte para ver a diferença entre ótica e óptica, mas não se deu ao trabalho de consultar o mais fundamental dos livros, que viria a esclarecer de vez a dúvida dela (ela merece esse cacófato, então deixa escrito assim): o DICIONÁRIO!

Será que o processo de desaprendizado dos reles mortais está em estágio tão metastático que os cabras já não sabem mais nem como usar um dicionário?!?!!? Esse maravilhoso compêndio do saber iria inclusive mostrar a ela que mininstrante não pode! (Cara, não teve UMA vez que eu não tivesse que reescrever essa palavra! É tão difícil escrever mininstrar errado que você tem que prestar atenção dobrada!!)

Vamos conversar com tio Antônio (/Houaiss) a seguir, justamente sobre as diferenças entre ótico e óptico. Passei pro masculino, e você vai entender o porquê ao ler o post a seguir.

(P.S.: por um acaso você sabe se sua ameba mininstrante também dá aulas sobre premícias da bruxaria? Será que é a mesma, ou a coisa vareia?)

Mãos adiante!

segunda-feira, junho 8th, 2009
Mãos ao alto! (Hein? Como?)

Mãos ao alto! (Hein? Como?)

São coisas que a gente só consegue acreditar depois de ver. Quem me enviou esta tchutchuca foi uma querida amiga, que de há muito comporta-se como ectoplasma suína. Há quem diga, inclusive, que ela faz algumas incursões pelo ramo da bruxaria. Mas isso não vem ao caso. Atenhamo-nos ao que ela nos enviou.

Trata-se de uma – aparentemente – inocente página de Internet sobre um festival de rock que aconteceu em Ribeirão Preto (SP) no último sábado, 6 de junho. Esta aqui, para ser mais precisa. Ao se clicar no link “CNA”, surge a cartinha daí de cima. Creio eu que seja uma tentativa de assalto à gramática, à lógica, à ortografia, à sinonímia, enfim, a todo mundo. Só que a ameba, em vez de dizer pra levar as mãos ao alto, pediu para que se deixasse as mãos adiante… essa é a única explicação que eu encontrei. Se alguém tiver outra mais plausível, por favor, os comentários estão à disposição.

Diante mão, gostaríamos de parabenizar (…)

Mas para que se fique bem claro qual foi o erro do tchutchuco, vamos falar com o tio Antônio:

antemão
Datação
1363 cf. IVPM
Acepções
■ advérbio
Estatística: pouco usado.
com antecedência; antecipadamente, previamente
Locuções
de a.
m.q. antemão
Ex.: de a. comunicaram que os ingressos estavam esgotados
Etimologia
ante- + mão; ver man(i/u)-; f.hist. 1363 amtemaão
Uso
mais empr. nesta locução

Então, ameba, escreva corrtetamente corretamente [aimeudeus… viram só o que faz uma ameba irritada? Me rogou uma praga, e eu escrevi errado! Vou ter que reforçar meus passes anti-amebas (ou então, revisar o texto com mais calma antes de postá-lo… foi mals] :

De antemão, gostaríamos de parabenizar (…)

E, se vocês me dão licença agora, eu volto aos meus afazeres. Acho que este caldeirão vai ficar caladinho até amanhã de tardinha. (Todas as vezes que eu tentei fazer isso, não rolou, né? Mas desta vez, eu juro que eu vou tentar!)

Lógica e Língua Portuguesa (…) 2, a missão

quinta-feira, junho 4th, 2009

…e o Cardoso fez o apanhadão geral das amebices escritas sobre o voo da Air France.

Confiram que tá imperdível. Mas leiam com sal de frutas ao lado, vocês vão precisar… o link é este aqui.

Lógica e Língua Portuguesa também estão entre as vítimas do voo da Air France

terça-feira, junho 2nd, 2009
     
Sinceramente, não sei o que é pior. Se é o drama de todas as famílias que perderam seus entes queridos no acidente do voo AF 447 da Air France, ou a quantidade monumental de besteiras que são ditas sobre o assunto. Já falei aqui da vergonha alheia (VA) que eu senti dos âncoras da Globonews ontem de manhã. Agora, o Cardoso, um dos maiores ectoplasmas suínos do Twitter 😉 , resolveu ler todos os comentários deixados na matéria da Folha de São Paulo sobre o assunto, e fez um breve apanhado do que ele batizou de salsinhas aéreas no Twitter dele.

Vejamos algumas pérolas que as amebas escrevem por lá. Por motivos de VA, resolvi omitir o nome das ditas.

  • comentário enviado dia 1º/6, às 14:31. Melangê de jenessequá define: A verdade é que as tempestades que antes nãoserrubavam avião [Ok, vou relevar. Erro de dedo no teclado], hoje com a mudança climática as máquinas voadoreas [idem] tem que serem [o tem sem acento eu relevo, mas essa flexão de infinitivo, não dá não…] revistas com novas tecnologias para novos tempos.AS turbulencias não são mais as mesma que as máquinas suportam. [Sei, sei… mas com isso você quis dizer exatamente que…. (preencha aqui o que a ameba quis dizer)?]
  • comentário enviado dia 1º/6, às 19:04. Ameba com mestrado em engenharia: Srs, sou doutorando do ITA [yessssssssssss!!! Uma ameba da engenharia!!!!] e digo que os sistemas eletronicos a bordo faz [os sistemas faz? Jura que os sistemas faz?] com que o aviao seja mais seguro e nao ao contrario….entao vamos parar de bla blabla e dizer besteiras sobre que [“dizer besteiras sobre que”? uai, quem é mesmo que está dizendo besteira aqui?]  a maquina nao pensa e etc.[também vou relevar a falta de pontuação geral. O engenheiro em questão deve ter incluído isso na margem de erro permitida no projeto, né? Além do quê, a ameba deixou bem claro que quem pensa, aqui, é a máquina… Tadinha da máquina…]
  • comentário enviado hoje, 2/6, às 9:30. Vejam como a ameba é solícita: Estou fazendo várias buscas a horas [para indicar tempo passado, o indicado mesmo é o verbo haver (), e não a preposição a, que indica futuro. Mas deixemos isso de lado, né? Afinal de contas, o tchutchuco está auxiliando nas buscas!!! Mas como ele está fazendo isso? Ah, não percam as próximas palavras…], revezando com meus filhos, mas realmente está dificil encontrar sobreviventes e destroços no Google Earth [GAAAAAAAAAAAAAHHHHHH!!!!!!!!! ABAIXO A INCLUSÃO DIGITAAAAAAAAAALLLLLLLLLL!!!!!!!!!!!] . Paz para as famílias dos passageiros [para os seus neurônios também, ameba!]
  • Comentário enviado dia 1º/6, às 12:49. Outra ameba solícita, porém com menos noções de geografia do que a ameba do dia 2. E que escreve em miguxês (bleargh!): entaum ontem por volta das 20:30 passou uma avião com as luzes todas acesas [ainda bem, não? ele viu o avião passando, e estava todinho aceso! Pane elétrica descartada, portanto! Avisem ao Cindacta!] e muito baixo aki na região onde eu moro em mongagua indo pro sentido de praia grande e santos [Mongaguá, Praia Grande, Santos?!?!?!] ,talves nao seja este avião desaparecido [Jura por Deus que esse não é ao avião desaparecido? Tem certeza? Olha, sugiro que você faça uma extensa investigação a respeito! Até porque, o fato de o avião da Air France ter decolado do Rio-de-Ja-nei-ro rumo à EUROPA não significa lá grandes coisas, né?] , mas tbm parecia que ele estava com problemas tipo sem rumo nao sabia pra onde ia! [Coitado…. um avião-Hamlet! Ser ou nao ser, eis a questão! E eu ainda arrisco que ele veio de Minas Gerais! Ao sobrevoar a região da casa da ameba, estava a divagar (OK, amebas podem pensar que ele não estava rápido, né?) Então, ele estava a pensar lá com os botões dele: “estou aqui, sobrevoando Mongaguá, passando por Santos, mas não sei muito bem quemcossô, oncotô, proncovô…”]

Há casos que eu só acredito… veiiindo!, como diriam as frequentadoras do auditório do Silvio Santos. Eu vi todos esses casos, não inventei nenhum. Pode ir lá no link da Folha procurar por eles…

Aimeudeus… esse mundo tá perdido!

bom, acompanhem a cobertura completa das salsinhas aéreas no Twitter do Cardoso. Porque produção de ameba é pior que poço sem fundo…

… e Deus fugiu para as montanhas

quinta-feira, maio 28th, 2009
Deus, me dê Dramin! AGORAAAAAAAAAAAA!!!

Deus, me dê Dramin! AGORAAAAAAAAAAAA!!!

 

Tudo culpa do Cardoso. Que, por sua parte, culpou o Pedro Vanzella. O caso é que eles deram o link (já aviso antes: se você clicar estará por sua conta e risco!) para este troço daqui. não vou entrar no mérito do nome dos integrantes da banda. Nem vou mencionar o fato de que o pagode deles é uma mistura de axé com forró (de má qualidade). Não, deixemos isso de lado.Vou apenas citar que o nome de uma… [er… composição? Não! Palavra forte demais. Deixa eu tentar de novo… música? Também não, a definição de música não se encaixa aqui… Acho que troço vai bem!] enfim, vou apenas citar o nome de um dos troços que fazem parte do CD deles: Deus mim deu você pra mim.

Aí, eu cliquei no troço amarelo e magenta e azul e verde e vermelho que é o cartaz de um dos shows que a turma deles faz por aí. E descobri que eles pregam uma vida… ambundante!  (Meu pai sempre me disse que ambundante era a bunda da ambulância…) AAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHH!!!!

Nessas horas, sinto pena de Deus. Além de carregar o mundo nas costas, ainda tem que aturar isso! Será que esse povo tem salvação?

Daí, eu fico pensando… Pô, a Bíblia é bem escrita. O texto das Sagradas Escrituras tem uma certa cadência, é bem pontuado, rico em novas palavras e em sentidos figurados tanto no Velho como no Novo Testamento, que ajudam cristãos (ou não) a aprenderem direitinho interpretação de textos.

Então, por que diabos raios um sujeito auto-intitulado evangélico escreve ambundante ou Deus mim deu? Será que eles não lêem a Bíblia, não?

Ah, que Deus tenha piedade dessas almas. e que não terceirize para Jesus a salvação delas!

Quando ortografia combina com dignidade

quinta-feira, maio 28th, 2009
Leia em voz alta: Jorge quer chiclete amarelo!

Leia em voz alta: Jorge quer chiclete amarelo!

Recebi esta pérola de uma ectoplasma suína. Suiníssima, diga-se de passagem. Como vocês podem perceber, foi tema de hoje do jornal Agora São Paulo. O link para a notícia é este aqui, Não vou discorrer sobre o mérito ou a pertinência da coisa. Se o cara é gay ou não, isso é da conta dele. Por outro lado (/com duplo sentido), se ele sabe ou não grafar corretamente a palavra cunhado, daí o problema passa a ser nosso, né?

Mas eu tenho cá pra mim que o erro de digitação não foi do autor da cartinha, não. Foi da ameba diagramante junto com a ameba revisante do jornal. Digo isto porque a palavra cunhado está escrita corretamente na angustiada missiva do moço em questão.

O problema foi que eu segui o conselho da psicóloga à qual a cartinha se destinava, e li o título em voz alta. E caí na gargalhada. Conhado, em voz alta, fica parecendo sotaque de bichinha poc-poc: Jorge quer chiclete amarelo para o conhado.

Isto só vem a provar que quem preza pelo bem da ortografia também preza pela dignidade humana. Se o diagramador tivesse escrito cunhado corretamente, eu não teria rido do angustiado autor da cartinha.

O Ig e sua "indentificação"

quarta-feira, maio 27th, 2009
Espero nunca fazer uma "indentificação" dessas...

Espero nunca fazer uma "indentificação" dessas...

Bom dia procê também!

Este caldeirão é prova viva do sofrimento diário dos estagiários. Depois de serem taxados de infrequentes numa empresa aê, agora é a vez de o Ig abusar da paciência e da intleigência desses pobres mortais. Confiram o convite à indentificação efetuado pelo supracitado portal… não satisfeitos com o encosto gerundol, as amebas igueanas ainda me aprontam uma dessas com dona ortografia..

Ah, não vou me estressar com isso, não.  Só vou dizer aqui que o certo é Identificando. (Ainda que esse gerúndio me doa nos ossos).

Mamãe, eu uso tradutor automático

quinta-feira, maio 21st, 2009

Acho que eu vou criar uma nova catiguria aqui no caldeirão, com o nome desse post.

Você provavelmente já viveu essa situação: compra um produto eletrônico novo, cheio de programanças e botõezinhos mil, e vai seco ao manual de instruções – que, por obra e graça do divino código do consumidor, tem que estar escrito obrigatoriamente em português. Ou, então, você vai ao Mercado Livre atrás de uma câmera, e dá de cara com este conjunto de palavras disponível neste link aqui, postado no twitter do Cardoso.

O problema é que o texto em questão não foi feito por um ser humano, mas por um tradutor automático. Que faz obras como essas daí de baixo:

HD Videocamera Digital com resolução nativa até 1080P e ainda captura de imagem a até 8 megapixels.

Este é nosso heavyweight novo HD filmadora vídea. Com a habilidade para levar vídeo de H.264 (MOV) a até 60 quadro segundo (60 FPS) e uma lente de grau profissional + sensor de imagem, este modelo o fará querer deixar seu trabalho e se tornar um Hollywood filme diretor!

Com uma definição alta (HD) que registra os abastecimentos vídeos a tela inteira com imagem vibrante, clara que deve ser vista para ser acreditado. Esta máquina fotográfica vídea digital pode lhe mostrar o em toda parte o qual HD é! Não seguro se você pode controlar uma filmadora nova? Nenhuma preocupação! Registrando seus filmes com esta beleza é extremamente simples – do fácil usar plano de botão e a 3″ tela vendo bonita, para o Expansão com SD memória cartões e padrão baterias de NP-120, tudo foi projetado com máximo fim usuário facilidade e conveniência em mente.

O 1080P HD trabalhos de máquina fotográfica vídeos grande como ambos um vídeo e ainda imagina máquina fotográfica e vem como um equipamento com quase tudo o que você precisa ser começado; Filmadora, bolsa de máquina fotográfica, bateria, corcel, software, e todos os cabos incluídos. Você há pouco precisa somar seu próprio SD memória cartão (até 8 GB) e você está pronto para começar filmagem em brilho de HD.

Não vou me dar ao trabalho de consertar pau que já nasceu torto. Isso daí de cima não tem remédio. Até porque, se você botar um cadim mais de reparo, vai perceber que o texto acima é  um típico Tabajara Inc., no original (Não seguro se você pode controlar uma filmadora nova? Nenhuma preocupação!). Imagina como fica a tralha em português fluente… 

No dia em que um tradutor automático conseguir traduzir corretamente a expressão baba-de-moça, eu passo a usar esses programetes. Enquanto isso não acontece, oremos…

[Suspiro]

quarta-feira, maio 20th, 2009

Há alguns dias, quando postei o emelho do relize sobre a indiana do funk, senti-me no dever cívico de conter, nos comentários, a exasperação de um leitor, que não conseguia relevar o fato de haver uma indiana do funk. Não adianta dar murro em ponta de faca, essa coisa vai sempre existir etc, etc, etc, afirmava então a minha pessoa. Não sei se eu consegui consolar adequadamente meu nobre leitor. Mas não é que a exasperação dele caiu todinha agora em cima de mim?!!??!?!?!?! Agora, é a vez da guerrilheira do funk. Que, em sua luta para aprender o português, foi sumariamente nocauteada pelo quarteto pontuação, gramática, ortografia e sinonímia! Também, né? covardia… são quatro contra uma (ou quantos neurônios a tchutchuca tiver disponíveis em seu… hã… cérebro)

Senão, vejamos a pérola no disponível no Te dou um dado:

Dani Lopes agora ataca [como assim agora ataca? Ela já atacava antes? Pra que lado ficam as montanhas, pelamordedeus?!?!?!?!?!] como Guerrilheira do Funk, disparando contra a frutaria: “guerrilheira rebolando é melhor que melância [a frase já tinha começado de forma esplendorosa, o acento circunflexo na melancia só concluiu de forma brilhante o feito!] “, diz parte da letra [aaaaaaahhhhhhhhhhhh!!! isso é letra de… não, não vou escrever a palavra música aqui!] de seu funk[mas vejam por outro lado: se fez-se míster haver tal acentuação na palavra melancia, não seria tal ineditismo o resultado de uma rima forçada? Afinal de contas, melância está no final de um… verso, né? Bom, vou conceder à dona batalha o benefício da dúvida. Contanto que ela não me envie a letra pra confirmar a minha suspeita!] . E dá-lhe pau em todas as frutas. Velha de guerra[uou… veterana, a moça, hein?] , Dani já dançou com Alexandre Frota.

EX DANÇARINA DO ALEXANDRE FROTA [cruzado de direita de dona pontuação! Faltou a vírgula aqui!] A MERCENÁRIA DO FUNK AGORA É MC DANI LOPES (GUERRILHEIRA DO FUNK) [cruzado de esquerda de dona pontuação! Faltou outra vírgula!] 25 ANOS, 1,70M, 100CM QUADRIL, 80CM DE BUSTO, 60CM CINTURA [pelo menos a dona moça, ou quem quer que tenha assassinado esse texto, conhece as regras do Sistema Internacional de Medidas, né?]  , LANÇA FUNK ONDE [funk é um local, é?] FAZ APOLOGIA [direto de dona sinonímia! dona guerrilheira do funk cai na lona!] AS MULHERES FRUTAS.

“EU TENHO A PLENA CERTEZA QUE [quem tem plena certeza, tem plena certeza DE QUE] NÃO SÃO ELAS QUE FAZEM SUAS MÚSICAS, AS MULHERES FRUTAS ALEM DE NÃO TEREM CRIATIVIDADE NÃO CANTAM E NÃO DANÇAM NADA, MEU TRABALHO É DIFERENTE PORQUE NÃO PRECISO INVENTAR UM NOME DE FRUTA E NEM [esse e nem tá sobrando aqui, minha fia… ai, que vontade de fazer um trocadilho com o Exame Nacional de Ensino Médio – Enem…] MUITO MENOS FALAR PORNOGRAFIA NAS MINHAS MÚSICAS, TRABALHO SEM APELAÇÃO SOU APOIADA PELO MC PIRATA QUEM FEZ O SUCESSO DO FUNK DO PICA PAU, CHEGA DE MULHER FRUTA !! A ONDA AGORA É A GUERRILHEIRA DO FUNK!!” [bom, sem entrar no mérito (???) da questão, acho que dona lutadora não frequenta muito o dicionário, né? Caso frequentasse, saberia a diferença entre apologia e crítica…]

Antes de tentar remendar o olho roxo e o nocaute de dona matadeira, vamos conversar com tio Antônio:

apologia
Datação
sXV cf. IVPM
Acepções
■ substantivo feminino
1    Rubrica: retórica.
     discurso ou texto em que se defende, justifica ou elogia (esp. alguma doutrina, ação, obra etc.)
Ex.: fez a a. do catolicismo
2    Derivação: por extensão de sentido.
     defesa apaixonada de (alguém ou algo) [ger. pessoa singular, incomum]; elogio, enaltecimento
Ex.: <religiosa, fez a a. do santo do qual era devota> <a. do socialismo> <a. da comida baiana>
Etimologia
gr. apología,as ‘defesa, justificação’, no Novo Testamento ‘resposta’
Sinônimos
ver antonímia de desprezo
Antônimos
argüição; ver tb. sinonímia de desprezo

 

Agora, sim, vamos remendar a bagaça:

Dani Lopes agora ataca como Guerrilheira do Funk, e dispara contra a frutaria: “guerrilheira rebolando é melhor que melancia“, diz parte da letra de seu funk. E dá-lhe pau em todas as frutas. Velha de guerra, Dani já dançou com Alexandre Frota.

EX DANÇARINA DO ALEXANDRE FROTA-vírgula, A MERCENÁRIA DO FUNK AGORA É MC DANI LOPES-ponto. A GUERRILHEIRA DO FUNK tem 25 ANOS, 1,70M, 100CM de QUADRIL, 80CM DE BUSTO, 60CM de CINTURA, E LANÇA FUNK NO QUAL ONDE FAZ APOLOGIA CRITICA AS MULHERES-FRUTA.

“EU TENHO A PLENA CERTEZA DE QUE NÃO SÃO ELAS QUE FAZEM SUAS MÚSICAS-PONTO. AS MULHERESFRUTA-vírgula, ALEM DE NÃO TEREM CRIATIVIDADE-vírgula, NÃO CANTAM E NÃO DANÇAM NADA-ponto. MEU TRABALHO É DIFERENTE PORQUE NÃO PRECISO INVENTAR UM NOME DE FRUTA-vírgula, E NEM MUITO MENOS FALAR PORNOGRAFIA NAS MINHAS MÚSICAS-ponto. TRABALHO SEM APELAÇÃO-ponto. SOU APOIADA PELO MC PIRATA, QUE FOI QUEM / QUE FEZ O SUCESSO DO FUNK DO PICA PAU-ponto. CHEGA DE MULHER FRUTA !! A ONDA AGORA É A GUERRILHEIRA DO FUNK!!” 

E eu começo a sofrer por antecipação com as vindouras soldadas do funk. Em que trincheiras elas vão lutar, Alá meu bom Alá? (Ai… já comecei a dar ideia…)

Frase do dia

segunda-feira, maio 11th, 2009

Por falar em eu ouço por aí, me lembrei de um diálogo antológico travado numa ligação entre ramais de uma empresa. De um lado, a secretária da presidência (não sei se o fato de ela ser loura explica o diálogo. Acho que não.); de outro, o gerente que fazia as vezes de assessor de imprensa da empresa. a dúvida da Beltraninha será a frase do dia de hoje:

– Ô Fulano, me tira uma dúvida aqui: ouve, do verbo escutar, é com ou sem h?

-[após um longo e profundo suspiro] É sem agá, Beltraninha. Sem.

Nova enquete!!!

segunda-feira, maio 11th, 2009

Pronto. Tomei gosto pela coisa. Vou lançar mais uma enquete pros queridos leitores deste caldeirão.

(ironia)

Vira e mexe eu ouço alguém dizendo eu truxe (…). A tia Maricota me ensinou láááááá no primário que o correto é eu trouxe, mas pelo visto houve alguma alteração nessa história toda com a nova reforma ortográfica etc. e tal (/mentira. Não houve alteração nenhuma! A conjugação “eu trouxe” é e sempre será a correta!)

Só que eu não sei como escrever corretamente eu truxe. Vocês podem, por favor, me ajudar?

Fiquem à vontade…

[polldaddy poll=1610667]

(/ironia)

O Ministério da Saúde adverte: blogar de madrugada faz mal à ortografia

segunda-feira, maio 11th, 2009

Ah, tadinho do Noblat

Foi blogar às quatro da matina. Publicou um clipping de nota do Estado de São Paulo sobre produtores agrícolas. Em defesa do Noblat, eu digo que, ao contrário do que ocorre no alfabeto das vogais, onde eles estão lado a lado, no teclado o o e o u estão separados pelo i. Enfim, olha o que o Noblat aprontou, coitado:

Enviado por Ricardo Noblat – 10.5.2009| 4h58m
Mais R$ 12 bi na renda de produtor agrícula 

Noblat, meu caro… vai dormir, menino! Fica até tarde brincando com a Luana (Luana e a netinha dele, seus mentes imundas…), dá nisso… Aliás, você está precisando de férias… fuja para as montanhasssss!!! E pare de blogar madrugada adentro!! (olha quem fala…)

A festa da subcelebridade e o encosto aspítico

sexta-feira, maio 8th, 2009
Vejam só que festa de arromba...

Vejam só que festa de arromba...

 

Deu no Te dou um dado?, o reino das subcelebridades. Eles tiveram a “honra” e a “felicidade” de serem convidados para o convescote daí de cima. Juro, fiquei morrendo de inveja (/mentira).

Acho que, no fundo, eu tenho pena dessa gente. Não frequentaram a escola com a atenção devida (porque, aparentemente, tiveram todas as chances do mundo de frequentar uma boa escola). Daí, resolveram que na vida o importante é ser celebridade. E decidiram, a certa altura, que já são celebridades.

Vou abstrair a característica falta de estilo na frase mais um ano de vida ao longo desses 32 anos. E claro, não vou deixar o voçê passar em branco. É mais um caso de hortografia pobremática. Ainda mais porque faz alguns séculos que os teclados de computadores incorporaram a tecla especial ç, que fica beeem distante de seu irmão c. E, se bobear, a tchutchuca em questão deve ser usuária de computador e internet há o quê? Quinze minutos? Então, nunca precisou digitar acento agudo+c para conseguir que o senhor sistema operacional lhe fornecesse o caractere ç.

Trata-se de mais um caso do encosto aspítico, o neofenômeno do qual o querido ectoplasma suíno me alertou aqui. A ameba escrevente sai enfiando aspas em tudo quanto é canto, de tudo quanto é jeito. Não me pergunte os critérios. Acho que são os mesmos da vírgula fashion e, assim como dona virgula, as aspas fashion também começam a despontar como forte corrente do design pós-rococó-empolêixon-moderno. A ameba escrevente olha pra frase escrita na tela do computador e pensa: hummm… tá faltando alguma coisa aqui… Ah! Já sei! Pronto! Assim, ficou bonito… E fez-se a bosta! Estão lá as aspas tascadas onde a ameba bem (/mal) entendeu. Ficou visualmente bonito, e isso basta!

Eu não encontro nenhuma gramática para assinar embaixo do que eu vou dizer agora, então digo sem assinaturas mesmo: aspas servem para demarcar citações. Ou, então, para indicar ironia. Também servem para identificar neologismos, gírias ou estrangeirismos nas frases. Querem ver só?

Exemplo 1 – Citação: Lembrem-se das palavras de Jesus: “Um novo mandamento vos dou – amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado”.

Exemplo 2 – Ironia: O texto do convite de Renata Banhara está “muito bem escrito”.

Exemplo 3 – Palavras ou expressões populares, gírias ou neologismos: Fulano “levou um lero” com beltrano.

No primeiro exemplo, por citar as palavras de outra pessoa que não eu (até onde fui informada, não sou Jesus Cristo), marquei a citação entre aspas. No segundo exemplo, o que eu quis dizer foi que o convite da Renata Banhara tá mal escrito à pampa. Tanto está que dá a entender que o autor da frase não esqueça o meu presente é o tal do DJ que vai tocar no convescote dela. E, no terceiro exemplo, foi a gíria levou um lero quem mereceu a decoração dos simpáticos símbolos.

Mas voltando para o convite em questão, por que dona Banhara pôs as frases Não esqueça do meu presente e Conto com todos voçês (sic) entre aspas? A não ser pelo critério fashion, não encontro mais explicações para o fato….

Cristorreimesalva…

quinta-feira, maio 7th, 2009
G-ZUZ!

G-ZUZ!

Deu no blog do Ancelmo Gois no Globo. O link pra notícia é este aqui.

Agora, imagina a cena: o motorista lê essa coisa aí de cima, não crê no que vê e desvia toda a atenção do trânsito para confirmar a… hortografia da CET. Não vê que o carro da frente parou, e bate no dito cujo.

A culpa é de quem, nessas horas? do motorista que desviou a atenção para dona praca de trânzito ou da CET-RIO, que desviou a atenção do motorista? A CET-RIO é passível de processo? Quantos pontos na carteira vale uma infração dessas?

[suspiro. suspiro profundo.]

Vírus da gripe suína também contribui com o Objetivando Disponibilizar

quinta-feira, abril 30th, 2009

Se você pensar direitinho, os contribuintes deste blog não correm mais o risco de serem infectados pela gripe suína, posto que não há relatos de infecção do temido vírus em ectoplasmas, apenas em corpos vivos.

Mas o lado ectoplasma da gripe suína resolveu contribuir e aparecer aqui no caldeirão do Objetivando Disponibilizar.

Eu e o marido recebemos um daqueles e-mails que avisam “repassando” e pedem “encaminhem para o maior número possível de pessoas” (/spam manual). Tem uma apresentação de Power Point muito bonitinha, organizada e didática sobre a gripe suína, supostamente montado por uma divisão da Petrobras. Não vou subir o arquivo aqui por dois motivos: 1- não sei se a totalidade de conteúdo desse arquivo é confirmada; 2- Em casos de epidemia séria, como este de agora, creio que seja obrigação exclusiva da autoridade sanitária nacional (no caso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa), informar adequada e corretamente à população. No mais, este blog é de esculacho, não é o local mais adequado para se obter informações confiáveis sobre a gripe suína. Ou seja: esquece! Informação aqui, só de ectoplasma suíno!

Mas eu falava do arquivo anexo recebido por e-mail. Ele é lindo, muito bem organizado, lista os países com casos confirmados da gripe suína, enumera os sintomas, diz como fazer para evitar contrair a doença e, lá no último slide, pede:

Agora que você já sabe o que é gripe suína, fassa a sua parte: previna-se! 

AAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!

O vírus da gripe não afeta os ectoplasmas suínos, mas esse faça escrito errado afeta, e com um soco no estômago!!! Esse verbo está pedindo o quê? Que você aja errado para evitar contrair a doença?

Isto é um caso para as autoridades ortográficas…

As premícias da bruxaria

quarta-feira, abril 29th, 2009

Definitivamente, eu colei meleca na cruz. Mas dizem eles que fui eu que pedi. “Você recebeu esta mensagem porque está inscrito em Nossa Casa”, afirmou a tenebrosa e-missiva que adentrou minha caixa eletrônica.

Eu sou uma bruxa malvada e venenosa. E a colhéééga que me enviou o e-mail vai ter que tomar muitos passes para deixar de ser ameba escrevente. Ela tá carregada de encosto, coitada! O texto dela, que trabalha no limite entre a redação e a assombração, tá mais para exercício de “pontue adequadamente a frase abaixo”. E uma das aulas do curso que a colhéga vai ministrar é de… premícias de bruxaria?!?!?! AAAAAAAAAAAAAHHHHH!!! FUJAM PARA AS MONTANHAAAASSSSS!!! Agora vejam o que eu pedi pra receber:

BRUXARIA NATURAL – O despertar da Magia
 
– ministrante: Fulana e Convidados –

Desde os primórdios o ser humano sempre [ai, colhéga, é desde os primórdios ou sempre? Decida-se!] utilizou os seus 5 sentidos (visão, olfato, tato, paladar e audição) para que pudesse viver em harmonia com a natureza e seus semelhantes e o 6o. Sentido (intuição ou paranormalidade) para poder entrar em contato com a natureza invisível do planeta. O 6º. Sentido sempre fez parte de cada um de nós independente de nossa vontade, porem em muitos casos adormecidos por uma existência inteira, justamente por desconhecer todo o seu potencial.
A palavra Bruxa, diferente do que dizem, vem do grego antigo que significa desabrochar. Da mesma maneira que aprendemos Filosofia, Historia para entendermos aspectos da humanidade estudamos a Bruxaria que é a ciência da transformação, ou seja, para sairmos de nossa rotina do dia-a-dia
[pleonasmooooooo!!! Rotina do dia-a-dia é aquele troço que sobe pra cima, desce pra baixo etc, etc, etc] precisamos enxergar a vida através dos olhos da alma para podermos desabrochar em uma vida repleta de oportunidades para amar, prosperar, harmonizar-se com a natureza e viver em equilíbrio com tudo o que nos rodeia [aqui você chegou já arfando, sem saber onde nem como respirar, né? É a tática da bruxa: baixa oxigenação no sangue te induz a alucinações. E você fica mais susceptível às bruxarias. Só pode ser isso…].
Durante a nossa vida procuramos em diversas partes do mundo
[a colhéga é viajada, como vocês podem perceber. Minha vassoura não tem tanta autonomia de voo assim, não… no máximo, um Rio-São Paulo de vez em quando…] respostas sobre, [tenho uma teoria sobre essa vírgula aqui. Lá embaixo explico] quem somos e porque estamos aqui, quando na verdade já temos todas elas respondidas dentro de cada um nós. É só saber encontrar o caminho…

(…)

CONTEÚDO DO CURSO:
 
Apresentação da Bruxaria Natural:
 
Origem da Bruxaria e sua história durante os anos;
Premícias da Bruxaria
[aaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!]; (…)
Viagem astral e noção de fisica quantica [é, a colhéga viaja e te dá aulas de física quântica…]; (…)
INVESTIMENTO
Matricula : R$56,00
15 parcelas de R$ 83,00
[Total: R$ 1.301,00, se é isso que você tá se perguntando…]
 

A colhéga em questão apela às forças da Natureza para poder viver. Tudo bem, se é assim que ela gosta de viver, a constituição brasileira lhe garante tal direito. Mas quem disse que para isso ela pode sugar o todo das minhas forças ortográficas?!?!?!?!?!?!?! Pra começo de conversa: o negócio da bruxaria vem desde os primórdios ou desde sempre? E colhéga, nos intervalos dos cursos de bruxaria infantil você não aprendia a escrever, não? Tia Maricota nunca te ensinou o poder da vírgula, ou a radiestesia do ponto final?

Pelo visto, não. Então, a colhéga se vale do novo conceito em pontuação de frases (/ironia). Esse novo conceito emprega unica e exclusivamente valores estéticos com a finalidade de pontuar frases. É uma forte corrente do design pós-rococó-empolêixon-moderno. A ameba escrevente olha pra frase escrita na tela do computador e pensa: hummm… onde é que a vírgula vai ficar bonitinha, hein? Daí, ela vai e tasca a benedita bem lá no meião da frase. E que se dane se ali a vírgula a-ca-bou com o sentido da frase. Ficou visualmente bonito, e isso basta!

Mas premícias não dá! Premícias não podeeeeeeeeeeeeeee!!! Colhéga, noção mínima de filosofia: os filósofos costumam partir de PREMISSAS. Vou repetir: PRE-MIS-SAS. E isso não é o momento anterior à missa, não, viu?

Ai, deixa eu dar uns passes aqui no texto da colhéga

BRUXARIA NATURAL – O despertar da Magia
 
– ministrante: Fulana e Convidados –

Desde o início dos tempos o ser humano vem utilizando [gerúndio, aqui, pode!] os  5 sentidos (visão, olfato, tato, paladar e audição) para viver em harmonia com a natureza e seus semelhantes vírgula-, e o 6o. Sentido (intuição ou paranormalidade) para poder entrar em contato com a natureza invisível do planeta. O 6º. Sentido sempre fez parte de cada um de nósvírgula-, independente de nossa vontade-vírgula, mas em muitos casos ele vive adormecido por uma existência inteira, justamente por desconhecermos todo o seu potencial.
A palavra Bruxa, ao contrário do que se diz, vem do grego antigo que significa desabrochar. Da mesma maneira que aprendemos Filosofia ou História para entendermos aspectos da humanidade
vírgula-, estudamos a Bruxaria que é a ciência (sic) da transformação-ponto. Ou seja, para sairmos de nossa rotina do dia-a-dia precisamos enxergar a vida através dos olhos da almaponto. Assim, conseguiremos desabrochar em uma vida repleta de oportunidades para amar, prosperar, harmonizar-se com a natureza e viver em equilíbrio com tudo o que nos rodeia
.
Durante a nossa vida procuramos em diversas partes do mundo respostas sobre
-corta a vírgula!-  quem somos e por que [esse por que é separado…] estamos aqui, quando na verdade já temos todas elas respondidas dentro de cada um nós. É só saber encontrar
o caminho…

(…)

CONTEÚDO DO CURSO:
 
Apresentação da Bruxaria Natural:
 
Origem da Bruxaria e sua história durante os anos;
Premissas da Bruxaria
; (…)
Viagem astral e noção de física quântica (…)

 Ufa…

"Você está demitido!"

quarta-feira, abril 29th, 2009

Estava eu a navegar agora há pouco, quando deparei-me com a seguinte manchete no UOL:

Em prova de caridade, Rutênio é demitido por erros de português

Abespinhada por recém-descobrir que rutênio não só é o nome de um elemento químico, mas também de uma pessoa do sexo masculino, cliquei no link. Era uma reportagem sobre a última edição daquele programa com o Roberto Justus, “O Aprendiz”. Limito-me a reproduzir o texto do link em questão, que narra os acontecimentos do episódio tal qual uma novelinha:

(…) Rutênio diz que achava que iriam perder no primeiro dia e até escreveu uma carta à líder sobre a comunicação e organização do time. Justus pede para ver a carta e passa a comentar os erros grosseiros de ortografia, como escultar em vez de escutar. “Você está mesmo na faculdade?”, pergunta a Rutênio. (…)

Justus demite Rutênio por erros ao longo de várias tarefas e também pelos erros de português, que o apresentador não admite ter de funcionários dele: “Escultar é imperdoável”, diz.

Alguém teria o material completo da pérola ruteniana? não é possível que escultar seja o único defeito desse texto… Aaaaaaaaaaaahhhhhhhhh, eu queeeeeeeeeeeeeeeeroooooooooooooo!!!!!

Publicado com o WordPress