Como se não bastasse o bolo de pé-de-moleque

Este post não é um post pago. Eu é que sou otária mesmo de fazer propaganda gratuita.

Saí de São Paulo já morrendo de saudades de uma padaria que tinha perto da minha casa que fazia um bolo de pé-de-moleque muito gostoso e uma rosca de batata-baroa, vulgo mandioquinha, de comer de joelhos. Na verdade, eu comia essa rosca sozinha, com café com leite.

Cheguei aqui em Brasília e conheci a Quitinete, que fica na 209 Sul (quem é de Brasília sabe como chegar. Mas, pra não te matar de curiosidade, fica aqui).

Mas o que isso tem a ver com um blog sobre textos, dona Bruxa?

Olha, não teria nada a ver. Até o dia em que eu fui comprar pão francês lá e recebi-os dentro de um saco de papel como este:

Num dá pra ver direito? Eu conto!

O saco de papel da Quitinete está repleto de frases de poemas! quer dizer, se eu consumia os quitutes de lá com algum peso na consciência, basta a distração dos textos do saco de papel deles.

Você faz seu lanchinho da tarde com Cecília Meireles, Augusto dos Anjos, Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade e Chico Buarque! E nem tchuns pras calorias que ingeriu! Tem como não amar?

Exemplinhos lindos:

Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor.

Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.

Clarice Lispector

ou este aqui:

Abrindo um antigo caderno

foi que eu descobri

Antigamente eu era eterno

Paulo Leminski

Como se não bastasse isso aqui pra te seduzir

Bolo de pé-de-moleque. Resista. E deixa que eu como sozinha! 😛

(Querida Quitinete, De nada pela propaganda gratuita. Caso você faça questão aceito meu pagamento na espécie daí de cima. Contato via e-mail, por favor! 😛 )
(P.S.: algum dia vocês pretendem vender roscas doces de batata-baroa/mandioquinha? É, eu sou abusada, fazer o quê?)


8 comentários sobre “Como se não bastasse o bolo de pé-de-moleque”

  1. Luis comentou:

    Olha, nao e’ que eu to com inveja e sinto uma falta absurda de uma padaria boa aqui na gringolandia. (mentira)
    Eu nem gosto de pe-de-moleque. (mentira deslavada)
    Mas pra comer lendo “…o beijo amigo e’ a vespera do escarro…” o bolo precisa ser MUITO bom, viu.

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Ma NAONDE que tá escrito isso, zifio? ;o)

  3. Luis comentou:

    Uai… Num ta’ escrito que voce faz seu lanchinho da tarde com o Augusto dos Anjos? Entao…

  4. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Qdo vejo “augusto dos Anjos” escrito penso num sonho com bastante recheio de creme. Bem doce, bem cremoso, bem… [Madrasta do Texto Ruim saiu do computador pra fazer brigadeiro de colher]

  5. Paulo Sallorenzo comentou:

    Bruxinha
    O seu gosto pela poesia me emociona.
    Ótima idéia do padeiro.
    Que se coma poesia.
    Não deixe de ver em http://www.sallorenzo.com.br a REVISTA ILUSTRADA.
    Sempre tem um espaço para poesia. Quando não escrita, visual.
    Beijos emocionados
    Bruxo fotógrafo

  6. Tânia comentou:

    Olá Madrasta… tudo bem?!!
    Olha… será que você pode me fazer o favor de indicar a padaria aqui em Sampa onde fazem o bolo pé de moleque. É que o meu avô está me pedindo e eu gostaria de comprar para ele.
    Obrigada pela Atenção!
    ABS

  7. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Tânia, é a Primícia dos Pães, fica na rua Cel. Diogo: http://www.primiciadospaes.com.br/

  8. Marcos comentou:

    Fiquei curioso em saber como o dono da padaria resolveu a questão dos
    direitos autorais. Ou ele coloca sem autorização da editora?

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress