Cosplay de vilão da DC Comics confunde Humberto Gessinger com Chico Buarque pra falar mal de Lula e Dilma

É, eu sei. Ficou um pouquinho sensacionalista esse título daí de cima, né? Mas deixa que eu gostei!

Os deuses e os encostos do Twitter me tiraram do descanso dominical para denunciar um texto escrito por um cara chamado Kléster, que fala mal do Chico Buarque. Depois de lavar louça, ver filmes, fazer nada e cuidar da minha vida (porque eu tenho mais o que fazer, nada inclusive), resolvi dedicar um tempinho de nada de minha preciosa vida para ler o texto.

Tá bem escrito o troço. Mas dá pena dos argumentos, coitado. Parece que Nossa Senhora da Interpretação de Textos esqueceu-se desse filho dela, viu? (ou será que foi esse filho dela que se esqueceu de Nossa Senhora de Interpretação de Textos, e nunca rogou por ela?)

Enfim. A sensação que deu é que o zifio em questão confunde Chico Buarque com Humberto Gessinger. E acha que Chico Buarque rima que nem Luan Santana. Viram como ele foi mesmo esquecido por NS da Interpretação de Textos? Coitado, né?

Mas leiam aí o texto do quiproquó da semana. Ele foi copiado da versão impressa do jornal da Tarde pelo dileto ectoplasma suíno Cid Cancer, neste post aqui:

“O Chico é chato, com “C” maiúsculo.
O filhinho-de-papai que fez fama como herói da democracia lança novo CD [O filhinho de papai em questão tem quase 70 anos, mas deixa pra lá] . Com as melodias lerdas de sempre.[ô, Kléster, se vc acha isso,eu respeito tua opinião, oras!]

Você gosta de Chico Buarque? É provável que sua resposta tenha sido “sim”[é, foi!] . Agora, me diga três músicas dele que você adora [todo o sentimento, Valsinha, homenagem ao Malandro, feijoada completa, Até o fim, pedçao de mim, construção, meu caro amigo ih! Só três? Desculpa…]. É provável que você não saiba. E sabe por que? Porque todo mundo diz que gosta do Chico, mesmo sem saber cantar uma música dele do começo ao fim [quer que eu cante, Kleyson? eu sei cantar todas! À exceção de Pedaço de mim, que não consigo cantar porque a letra me faz mal – mas isso não significa que a letra seja deplorável!].
Dizer que gosta do Chico é cult [cult de quem? Desculpa, o trocadilho foi inevitável, kléber!] . Quem não gosta do Chico é burro, ignorante, não entende nada de música [Meu marido não gosta do Chico. Nem por isso é burro. Tudo bem que eu já vi uma “colega de trabalho” do Sílvio Santos no Qual é a Música ouvir A Banda e, na tentativa de adivinhar o cantor, perguntou: é a nova do Daniel? Mas, de novo, deixa prá lá. Mas você dizia…?]. Pois pode me colocar no segundo grupo. Eu acho o Chico muito Chato, assim mesmo, com “C” maiúsculo. O nome dele deveria ser Chato Buarque de Holanda.[Olha, Kluster, tem algumas músicas dele que realmente são um pé no saco…]

Antes de continuar, vamos deixar uma coisa clara. Eu reconheço a importância do trabalho desse indivíduo para a música brasileira. Reconheço que ele já escreveu algumas canções até boazinhas[Cejura, Klóvis? então tá bom!] . Mas o cara é chato demais. Repetitivo, cansativo, sofre de uma carência absurda de criatividade, o que, pra um artista, é – ou deveria ser – fatal. [repetitivo? NAONDE? Chico já compôs chorinhos, valsas, sambas, sambas-canção, bossa nova… ele repete exatamente o quê? E as letras dele falam sobre maridos traídos, mulheres traídas, mães que perderam os filhos, ppaixões arrebatadoras, causos de cidade pequena… NAONDE que tá a repetição, zifio? Se você quiser chamar Chrissie Hynde de repetitiva, eu até entendo – e concordo. E olha que sou mais fã de Chrissie Hynde do que de Chico Buarque. Mas Chicovsky realmente tá longe de ser repetitivo, viu, Keirrisson?]
No caso do Chico, ele leva na boa, porque o brasileiro é muito besta e engole o que ouve sem pensar[er… se você engole alguma coisa é porque você comeu essa coisa. Troços ouvidos são troços assimilados, compreendidos, aceitos…. mas não engolidos, tá, Klébster?] . É como dizer que gosta do Chico sem saber cantar uma música sequer do cara [ô, Kleivisson, eu pensei que você já tinha superado o trauma de não saber cantar chico Buarque!] . E por que eu tou falando tudo isso agora? Porque o Chato Buarque acaba de colocar na internet a primeira música de trabalho de seu novo disco. A canção chama Querido Diário – quanta criatividade – e tem aquela mesma melodia de sempre, cansativa, enfadonha, capaz de transformar qualquer festança num velório[ Vamos por partes: Chico Buarque não é pra dançar em festa. O nome disso é bate-estaca / pagode de merda / axé irritante / sertanejo cantacorno. Chico Buarque é para se escutar, assimilar, compreender, pensar, e botar pra tocar no rádio do carro e cantar, por exemplo. é para se ouvir baixinho enquanto se conversa com amigos inteligentes. Mas obrigada pelo aviso! Joguei no google e achei a música em questão. Sério que você não entendeu o porquê do título? Nem o conteúdo da letra, Klingston? (suspiro)]
Piores do que a melodia, só mesmo a voz de taquara rachada do cantor [OK, aqui eu concordo. Chico não canta bem.] e a letra medonha [cejura que cê vai insistir na história de que não entendeu a letra? Medonha por quê, Klarckson?]. Entre outras aberrações, Querido Diário tem como forçar a barra pra rimar “trama” com “flama” [mizifio, vou acender uma vela pra você e encomendar sua alma a nossa Senhora da Interpretação de Textos! Você acha que Luan Santana seria capaz de escrever desejo-me em flama, Klobertson? Cejura? Mas cejura mesmo? e você acha que trama com flama foi forçar barra aí? Vc NÃO ENTENDEU A LETRA?!?!?!?!], outra rima digna de Luan Santana (“carinho” com “sozinho”) e a estupidez extrema de falar em “amar uma mulher sem orifício”. Poesia de borracharia perde.[Serião. Agora deu pena. Senta aí que eu vou te explicar a letra porque você NÃO ENTENDEU: antes de “amar uma mulher sem orifício” vem o verso “Por uma estátua ter adoração”. Portanto, temos “por uma estátua ter adoração – amar uma mulher sem orifício”. Isto significa que a mulher sem orifício em questão é a estátua, a imagem de uma santa, ou seja, uma mulher a quem ele deva amar sem contato carnal, entendeu, Klarrison?
Mas quem vai dizer isto ao grande Chico? Ninguém. Até porque o Chato Buarque de Hollanda teve uma vida duríssima, combateu a ditadura militar, sofreu no exílio… quer dizer… isso é o que ele apregoa aos quatro cantos, né?
A história real é outra [Peraí! Você não gosta do chico, não gosta das letras dele, e agora vai achincalhar a vida dele? Você vai me obrigar a te citar Tutty Vasques, zifio? Aliás, aproveita e lê esse texto que eu linquei. ele desenha tudo o que você não conseguiu entender, Klibster!]. Na verdade ele é um burguesinho de marca maior [OK, ele nunca penou na vida. Mas o que exatamente você quis dizer com burguesinho, oh, Klackstone?] . O pai dele era o Sérgio Buarque, um historiador e jornalista, e a mãe a pintora e pianista Maria Amélia. Quando o Chico tinha 9 anos, o pai dele foi lecionar na Universidade de Roma. E lá foi o Chiquinho viver na dureza da capital italiana. Como todo filhinho-de-papai que se preze, ele nunca demonstrou muito gosto pelos estudos. E sempre quis ser rebelde.[iiiihhh… o diagnóstico já foi feito pelo Tutty Vasques…]
Ainda adolescente e já vivendo em São Paulo, furtou um carro pra fazer arruaças. Foi parar na cadeia. Mas o papaizinho logo tirou o moleque do xilindró[puxa! num sabia dessa! Rock’n’roll dos bão, hein?] . Aos 19 anos, foi estudar arquitetura na USP. Mas não se formou: só teve saco de ficar por lá 2 anos. Riquinho como sempre foi, sabia que não precisava estudar para ter a vida que queria.[Bem, até aí você tá contando a história de 250% dos músicos deste país e do mundo! Renato Russo largou a escola e virou.. er… Renato Russo; Chico Buarque largou a escola e virou… er… Chico Buarque; Zezé de Camargo e Luciano largaram a escola porque não podiam mais estudar e viraram… cê já entendeu, né, Klingon?]
Quando os militares tomaram o poder no país, ele começou a fazer músicas criticando o regime. Aí, vem a melhor parte: o tão aclamado exílio. Meu amigo, isto é lorota. O exílio do Chico foi imposto por ele mesmo. Vendo os militares capturando e torturando quem não aceitava o regime, o indivíduo, aos 25 anos, não queria se arriscar no Brasil. Colocou o rabinho entre as pernas e se mandou para a Itália. Fala sério. Pra Itália? Até que eu queria um exílio desse!! Se exilar no Congo ninguém quer, né?[ele falav afrancês, tinha amigos nazoropa, ia fazer exatamente o quê na África? Faltou-lhe uma certa vocação missionária, é isso que você quer dizer, Klister?]
Daí, depois, ele voltou pro Brasil e ficou posando de herói da democracia. Mas quando a podridão do Governo Lula, que o Chico apoiou, veio à tona, o Chato Buarque ficou calado, como todo burguesinho petista. Daí, como agradecimento, o Lula colocou a irmã do Chico, a Ana Buarque, pra ser ministra da Cultura. Sim, o Lula. Ou você acha que a Dilma decide algo sem consultar o chefão? A não ser que você seja do time que acha o Chato Buarque um grande artista. Nesse caso, você é capaz de acreditar em tudo.’’[POOTAQUEPAREEOOOO!!! Quer dizer que você me tgrouxe até aqui pra falar mal de Lula e Dilma, Klubster?!?!?! então Chico não presta por causa do Lula e da Dilma?

 

Olha, me deu vontade de fazer um texto enaltecendo Chico pra desancar Lula e Dilma. Licença que eu vou pegar fiote na escola e já volto pra escrever esse troço!

(P.S.: digamos que Chico Buarque leia o texto do Klogster. O burguesinho filhinho de papai vai:

(  ) Perder noites de sono

(  ) Chorar

(  ) Beber pra esquecer

(  ) Fazer nada

Eu aposto na terceira opção. Mas só no primeiro verbo: Chico buarque vai beber. Porque Chico Buarque bebe. Ponto. 😀



17 comentários sobre “Cosplay de vilão da DC Comics confunde Humberto Gessinger com Chico Buarque pra falar mal de Lula e Dilma”

  1. Roberto Telles comentou:

    Não é novidade a manifestação do “ódio cruzado” que para manter uma patética e medíocre coerência o ectoplasma suíno que não gosta do Lula (nordestino vencedor e reconhecido pelo mundo afora)por tabela não gosta da Dilma (aquela que reconhece no Lula – e mais 80% do povo – como um político extremamente hábil) e também passou a odiar o Chico Buarque (letrista genial que foi o principal parceiro de outro gênio criador, Antonio Carlos Jobim) apenas por ter prestado seu humilde e livre apoio à candidatura da Dilma, que foi indicada por Lula e por esse motivo nenhum deles prestam???? Quem é chato, repetitivo e sem inteligência nessa patacoada toda, e ainda por cima não teve vergonha de escrever e publicar tanta asneira; chamam isso de jornalista ou está mais para jornalixo.

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    É, é…. é? Ah, sei lá! Eu não vou gastar tanto neurônio pra fazer elucubrações a respeito do Kenyan, não… (começam a rarear as opções de nomes (?) que começam com K…)

  3. Janes Rodriguez comentou:

    O kaynkayn não entende as letras do Chico, é uma criatura semiformada. Porém: ele deve adorar Caetano porque Caetano é FHC e fala mal do Lula. O cara é um mala e se o chico tivesse apoiado o Padim Pade Cerra, ele ia adorar o Chico. Vai empilhar coquinho na descida, ô panaca? Viva Chico, que no mundo todo há quem saiba quem é. E você? Pó ds beira da estrada e semi-alfabetizado. Volta pra esecola, zifiu. cê carece de aprender a ler.

  4. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Ai, gente! quanto neurônio gasto com elucubrações acerca desse sujeito! Vamos ver novela, vamos? 😉

  5. Juliana Freitas comentou:

    Ele diz que ainda bebe, mas não beme mais daqueeeeele jeito.
    Então eu acho que ele vai chorar… de rir!

    Pobre K… Kl… é K-o-quê-mesmo?

  6. Allan Moraes comentou:

    Não gosto das músicas do Chico, não consigo ouvir, nenhum, mas admito que a poesia é ótima, excelente. O meu problema com essas músicas (MPB em geral, e até mesmo o rock) é que tenho a música (ou qualquer outra arte) como manifestação de uma vontade, seja ela de qual tipo for (de morrer, de transar, de matar, de amar, etc) – a questão é que acho que pra minha geração, esse tipo de música não faz mais sentido, ou seja, não culpo quem ouve funk carioca: não tem como você fazer um moleque do morro ou da favela ouvir Chico Buarque e se identificar com o que ele fala nas letras.

  7. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Taí! Concordo integralmente contigo! O morro que outrora nos deu Cartola, hoje nos dá funk. É outra época, outras cabeças, outro raciocínio… evoluímos? /o\

  8. Fernando F comentou:

    Qual o problema com o Humberto Gessinger?
    Um cara que escreve “a dúvida é o preço da pureza” também é gênio!

  9. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    “o papa é pop, o papa é pop, o pop não poupa ninguém” <– BLEARGH
    "na boca em vez de um beijo um chiclé de menta e a sombra de um sorriso que eu deixei numa das curvas da highway" <– BLEARGH nº2
    Desculpe, mas Humberto Gessinger nunca me vai descer pela goela. Os neurônios não deixam.

  10. amaury comentou:

    arrasou, madrasta madrinha.

  11. Allan Moraes comentou:

    Pois é, Madrasta… Evoluímos? ¯\_(ツ)_/¯

  12. Lola comentou:

    Cara, eu quero morrer quando eu leio um texto que se diz críticos e com argumentos que, creio eu, uma criança de dez anos elaboraria coisa melhor!
    Madrastra, pra variar, eu adorei seus comentários pertinentes e divertidíssimos!

  13. Rodrigo comentou:

    Ri muito com o texto (se não era pra rir, desculpe). Ao amigo ali em cima que citou Humberto Gessinger como autor da frase “a dúvida é o preço da pureza”, sinto muito, mas isso é uma citação, salvo engano, de Sartre. Concordo com a ruindade das frases colocadas pela Madrasta do Texto Ruim, mas acho que todo artista tem seus altos e baixos. “O Papa é Pop”, se você parar para pensar, é um tapa na cara das bandinhas que posavam de rebeldes sem causa no fim dos anos 1980, tapa que resvala na mídia. A frase solta é tosca, mas dentro da música, faz todo o sentido. Sobre a tal crítica à música nova do Chico Buarque: é típica de quem não gosta do artista e ouve a canção ou o disco procurando motivos que se encaixem em sua rejeição. Ouve com má vontade, busca os defeitos e coloca toda a raiva no teclado. []s

  14. José comentou:

    olha, eu não concordo muito com a critica que ele fez do Chico Buarque, uma parte é verdade sim, mas ele tem algumas musicas boas agora você falar do Humberto Gessinger, porra, ele sempre fez muitas criticas geniais em suas musicas e creio que você não entende 1/3 das letras. Sem contar que as melodias são bem melhores que a do seu Chico, essas musicas ”depre”, de velório que nem o cara lá falo.

  15. Rodrigo comentou:

    Putz, gosto de Engenheiros, acho o Gessinger um cara inteligente (no mínimo, diferenciado), mas acho um saco os fãs xiitas da banda, que dizem que quem não gosta dele é porque não entende as letras. Pode falar mal de todo mundo, “menas” do aclamado Gessinger. Tenha dó…

  16. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Gente que escreve “diferenciado”…
    Zifio, vai na busca do blog e joga “diferenciado” lá. espero que você aprenda!
    (Assim fica fácil entender pq vc acha o Gessinger um cara inteligente….)

  17. Eduardo comentou:

    Eu tenho certeza que esse Kissinger é uma pessoa muito triste, que nunca se indignou,nunca se emocionou, nunca amou e nunca gozou (desculpem a pobreza das rimas) na vida. Apenas alguem assim seria incapaz de, mais que compreender, sentir uma canção do Chico.

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress