Meu caro amigo


 

O Português é uma das línguas mais difíceis do mundo. Mas parece que para o Chico Buarque isso não significa nada. As sílabas dos versos desta música magistral se encaixaram tão bem, que parece que a Língua Portuguesa foi total e definitivamente seduzida pelo charmoso autor de olhos verde-esmeralda.

Acho essa explicação mais plausível. Porque creditar a magistralidade desses versos unica e exclusivamente à genialidade de Francisco é meio exagerado. Reparem como as sílabas da última estrofe cabem nos versos de forma inacreditavelmente precisa…

Confiram:

Meu caro amigo me perdoe, por favor
Se eu não lhe faço uma visita
Mas como agora apareceu um portador
Mando notícias nessa fita

Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

Muita mutreta pra levar a situação
Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça
E a gente vai tomando e também sem a cachaça
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo eu não pretendo provocar
Nem atiçar suas saudades
Mas acontece que não posso me furtar
A lhe contar as novidades

Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

É pirueta pra cavar o ganha-pão
Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro
E a gente vai fumando que, também, sem um cigarro
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo eu quis até telefonar
Mas a tarifa não tem graça
Eu ando aflito pra fazer você ficar
A par de tudo que se passa

Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

Muita careta pra engolir a transação
E a gente tá engolindo cada sapo no caminho
E a gente vai se amando que, também, sem um carinho
Ninguém segura esse rojão

Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever
Mas o correio andou arisco
Se me permitem, vou tentar lhe remeter
Notícias frescas nesse disco

Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

A Marieta manda um beijo para os seus
Um beijo na família, na Cecília e nas crianças
O Francis aproveita pra também mandar lembranças
A todo o pessoal
Adeus



5 comentários sobre “Meu caro amigo”

  1. sarita comentou:

    Sempre fiquei chocada com a aparente facilidade dele pra escrever enquanto eu penava na escola pra escrever uns versinhos bobos e sem graça. Inveja de todos os eu-líricos do Chico. Ok, todos nao, mas muitos deles eu queria pra mim.. 🙂
    Dá ate gosto cantar música assim, contando as silabas poéticas..

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Eu reeditei um post jurássico deste caldeirão, com a letra de Meu Caro Amigo. A sensação que eu tenho é que a Flor do Lácio foi seduzida por aquellos ojos verdes, viu?

  3. Fabiane comentou:

    Mas vamo combiná que rimar “futebol/sol” com “rock ‘n’ roll” foi forçadaço. Ele até muda a pronúncia pra poder encaixar direito na música.

  4. rundfunk comentou:

    Fabiane, vamo combiná que não. A pronúncia em inglês é mais para “RÓU” mesmo. Não dá pra dizer que o Chico errou ou forçou. Não sei bem porque se usa mais a forma “RÔU”. De qualquer modo, isto não é português.

  5. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Gente, depois do que ele fez última estrofe para dar a ela aquela métrica irritantemente perfeita, ele poderia rimar até coração com ação que eu deixaria passar batido! 😛
    (Amarietamandumbeijoparaosseus, umbeijonafamílianacecíliaenascrianças oFrancisaproveitapratambémmandarlembranças atodoopessoaladeus)

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress