O banco com problemas existenciais

Não sofro mais com a conta negativa nem com as taxas de juros do banco do qual sou correntista. Sofro de me arrancar os cabelos é com as amebas escreventes que reinam naquela instituição financeira. E parece que elas fazem esses textos pra me afrontar, porque sabem que eu vou ler tudo – sério, os textos escritos pelas amebas do meu banco estão me causando alergias que se manifestam em forma de manias de perseguição!!!

Daí que quem quiser pode entrar numa das agências desse banco (propaganda gratuita? Nem vem que não tem!) e pegar um caderninho simpático, lindo e quase ecologicamente correto, pois foi confeccionado em papel reciclável (se totalmente correto fosse, pelo texto que contém deveria ter sido impresso em papel higiênico) e informa –  não, palavra muito forte; avisa – também não, pq essa toba pode não funcionar de uma hora pra outra; relata – não, não é relatório lista (pronto, acho que deu!) as formas de os correntistas usarem as facilidades (embora eles prefiram falar em funcionalidades) do banco. Eu ia colocar a foto da tetéia aí em cima, mas achei melhor digitar o texto todo pra meter o meu sarrafo costumeiro em canetas azul e vermelha.

Voltando à vaca fria, o livretinho abre com um típico texto fez-se a bosta!:

Pensando em proporcionar [Primooooooooooo!!!  Uai, vocês não sabiam, não? O Pensando em proporcionar é primo do Objetivando disponibilizar! Cresceram juntos, os dois, uma gracinha!! A diferença é que o Pensando (…) ganhou uma preposição e ficou mais gorduchinho, enquanto o Objetivando (…), por começar com um O maiúsculo, dispensou a preposição por se considerar fofucho o suficiente!] comodidade, conforto, agilidade e segurança aos nossos clientes [ai, como eles são bonzinhos, não? Fico tocada com tamanha prestatividade!] , o banco Tal coloca à disposição [ponto positivo! Não falou disponibilizar, merece ponto positivo!] diversos canais de atendimento, cada qual para atender suas necessidades [taqueospa… primeiro o texto tasca um atender necessidades, macaquice-muleta de ameba escrevente. Segundo, porque láááááááá em cima, ele fala em nossos clientes, e aqui embaixo, resolve atender suas necessidades! Quer dizer, os clientes são nossos, mas as necessidades são suas de quem, cara pálida? Dos Canais de Atendimento? Se o banco está com problemas existenciais, que vá resolvê-los no divã do analista – ou bote as amebas escreventes pra correrem de lá, oras!] de produtos e serviços bancários.

Você pode realizar a maioria de suas transações nos canais de atendimento disponibilizados [AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHH!!!! DEVOLVAM O PONTO POSITIVO DO PARÁGRAFO ANTERIOR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!] pelo banco Tal, além do [agora, preparem-se porque vai começar a sessão comédia. Segurem o riso:] bom atendimento prestado por profissionais capacitados em nossas agências. [palavras deles, não minhas].

Melhorar essa bagaça é algo como o Super-Homem estar com uma mochila de criptonita nas costas e ter que lutar contra o Lex Luthor. Mas vamos tentar:

O Banco Tal oferece a você diversos canais de atendimento para facilitar a sua vida. Nosso ideal é proporcionar comodidade, conforto, agilidade e segurança, para que você possa usar tranquilamente nossos produtos e serviços bancários.

A maioria de suas transações bancárias pode ser efetuada/feita nos Canais de Atendimento oferecidos pelo Banco Tal. Mas não se esqueça que em nossas agências você também encontra profissionais capacitados à sua disposição para lhe prestar um excelente atendimento [quem disse que não é possível mentir e escrever direito ao mesmo tempo?]

Viu? Não doeu, e ainda ficou mais próximo e simpático do queridocliente. Agora, façam o favor de tirar essa criptonita daí que ela tá pesandoooooooooooooooooo?!?!?!



2 comentários sobre “O banco com problemas existenciais”

  1. Marlena comentou:

    Madastra, suas correções me são muito úteis, mas fiquei um pouco confusa com o trecho: “Mas não se esqueça que em nossas agências…”. Não seria “Mas não se esqueça de que em nossas agências…”?
    Abraços, Marlena

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    De fato, não sei…
    Quem esquece, esquece alguma coisa ou
    quem SE esquece, SE esquece DE alguma coisa?

    Tem diferença? Oh, céus! Tu me Pegaste de calças curtas!
    Cadê minha gramática?!?!?!?!?!

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress