Ronnie Von e o intransitivo viado

Por falar em língua em constante evolução que ganha novos verbetes e adquire novos ares etcetcetc, me lembrei deste fato aqui:

Eis que o príncipe da Jovem Guarda, Ronnie Von, hoje é um respeitável senhor de meia idade que apresenta um delicioso programa de variedades na TV Gazeta de São Paulo, o Todo Seu. Assistia quando morava em São Paulo. Às vezes, trazia momentos surpreendentes, como Miúcha se derretendo toda pra cima do apresentador, em meio a uma entrevista prá lá de cativante.

Mas o gerador de neologismos foi ligado em outra ocasião.

O programa em questão é gravado. Ronnie estava encerrando o programa, porque a fita estava quase acabando e o tempo tava mais que estourado. E tinha um borbotão de mensagens e perguntas de telespectadores pra ler ainda. Começou a ler as perguntas a jato. Até que se deparou com um dilema existencial de um telespectador. E deu nisso aqui:

Daí que a história caiu na web (como vocês podem perceber) e geral começou a usar o verbo significar na terceira pessoa do singular do presente do indicativo de forma intransitiva, como sinônimo de viado ou viadagem (Fulano significa). Simples assim. Tem como não amar?

Isso quer dizer o seguinte, gente: às vezes, significa não significa significa. Quer dizer que, se você ouvir que Fulano significa, assim, intransitivo mesmo, é sinal de que Fulano está aviadando…

Então, vamos acrescentar mais uma definição ao verbo significar. Ajudaê, tio Antônio:

Significar
n verbo
transitivo direto
1 ter o significado ou o sentido de; querer dizer
Ex.: dialogar significa falar e, principalmente, ouvir
transitivo direto
2 apresentar-se como expressão de; exprimir, traduzir
Ex.: que significa isso que você acaba de fazer?
transitivo direto
3 dar a entender; mostrar
Ex.: queria, com aquele gesto, s. a sua negativa
transitivo direto
4 ser sinal ou indício de; denotar
Ex.: o seu fracasso nas últimas eleições significou o fim da sua carreira política
transitivo direto e bitransitivo
5 Estatística: pouco usado.
fazer conhecer; participar, comunicar
Ex.: a diretoria significou(-lhes) a decisão de não fazer demissões
transitivo direto
6 Rubrica: linguística.
possuir determinado significado; denotar, designar
Ex.: sifonoide significa ‘semelhante ao sifão’

Eu acrescento:

Intransitivo

7. Viado, viadagem.

Ex.: Fulano significa. / Isso significa.

Mas por favor, não usem tal expressão em textos formais e/ou oficiais. Porque isso não significa nada. 😀

(P.S.: Confira abaixo a explicação do próprio Ronnie Von sobre o episódio)



11 comentários sobre “Ronnie Von e o intransitivo viado”

  1. Tweets that mention » Ronnie Von e o intransitivo viado -- Topsy.com comentou:

    […] This post was mentioned on Twitter by Jac Chaves and Blog ImprenÇa, Madrasta Texto Ruim. Madrasta Texto Ruim said: Depois de Ronnie Von, significa não significa mais significa. (RT de mim mesma:) http://bit.ly/9XlH0K […]

  2. Mario Abramo comentou:

    Putsgrila… quer dizer que os papas da semiótica quebrando o pau pra descobrir o significado do significante da significação e nós brazucas já matamos a charada? Mais uma vez a Europa se curva ante o Brasil… 😉
    Mas o que realmente não sigifica nada (testando) é esse filhote de cruz-credo “e/ou”, cruza de jacaré com cobra d’água. E como tou com raiva, vou mandar o link em inglês (sinal que a raiva é pequena, senão mandava em latim):
    http://plato.stanford.edu/entries/disjunction/
    Resumindo, já que no fundo sou bonzinho:
    OU só é exclusivo se os termos são antagônicos (esquerda/direita) ou é parte de uma locução “ou…, ou… ” (Aut Roma, aut nihil), ou faz parte de uma entimeme, silogismo onde uma premissa é esquecida.
    O velho dilema “Ela ou eu?” é exemplo dessa última, e revela a profunda falta de generosidade egoísmo da frase “com as duas não pode”.
    []s
    Mario

  3. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Mas quem é o filhote de Cruz credo em questão? Ronnie? aaahhh, tadjeeenho! Fala assim dele, não! Ele é um incompreendido! Tem uma trilogia de álbuns psicodélicos que são fabulosos! (“Viva o chope escuro” foi, durante uns bons meses, meu mote, viu? 😉 )

  4. Mario Abramo comentou:

    E pq raios o strike funciona pra vc e pra mim não? Testando again egoísmo

  5. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    hummm.. só consigo fazer strike no Internet Explorer. Trabalho no Chrome, e vou no Explorer exclusivamente pra strikear. Mas aqui nos comentários, o tente dar um strike com e (sem espaços, por favor). Aí c me diz se fununcia, pq eu como dona do blog tenho poderes supremos que me impedem de verificar essas coisas mortais… 😉

  6. Mario Abramo comentou:

    Zifia,
    Essa excrescência lógica chamada “e/ou”. Um dia que tiver um engradado de cerveja do lado, conto o monte de problema de supor que “ou” é naturalmente exclusivo na extenuante profissão de escovador de bit. Mas xápralá. Essa cruzada mesopotâmica já perdi.
    []s
    Mario
    PS: Uso as tags HTML pra formatação. Mas sempre existem filtros, pra não permitir bobagens. Aqui o strike e o underline não funcionam.

  7. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh… agora intindi! Sou obrigada a concordar que o e/ou é um troço feio, mas num tem como escapar, né?
    e/ou é que nem “tendência”. num me guento mais essa palavra, mas diz qual que eu boto no lugar?

  8. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    P.S.: wordpress tem encostos próprios de tags. Num brinco com eles, não… num sei exorcizar HTML, só português, mesmo…

  9. Mario Abramo comentou:

    Dona Bruxa,
    Não duvido que quando ensinarem o be-á-bá pro feiticeirinho vão ensinar as tags de HTML tb, “a nível de” Catimbó simples. Aliás, acho que o wordpress admite expressões em LaTeX, feito o wiki, mas precisa fazer não sei o que de não sei que lá. O ning não, nem com macumba Tranca Rua. Isso não é problema pros mortais comuns, anyway, só pra matemáticos, físicos, engenheiros e malucos assemelhados.
    De volta ao “e/ou”.
    O problema é que em mais de 90% das vezes que eu vejo esse estropício ou é desnecessário ou totalmente incorreto. Já vi frases do tipo “isso pode ser assim e/ou assado”, quando nunca pode ser das duas maneiras. Em outras palavras: quando os termos são antagônicos, e o “ou” é exclusivo. Que diabo esse “e” tá fazendo aí? Ah, é a tendência pseudo-científica americanizada vira-lata que acha que copiar bobagem dos outros é bacana…
    “Colega” meu lógico francês (entre aspas pq ele é lógico mesmo, eu sou só desentortador de byte) foi mais duro ainda:
    Par contre, ce “et/ou” est une sorte de jargon. On peut le voir comme un symbole d’une caste de techniciens qui se parlent entre eux, ou qui veulent passer pour des savants auprès de ceux qui ne sont pas de leur caste. Intéressant, tout ça!
    []s
    Mario

  10. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Cara, podia ju-rar q já tinha aprovado este post! Mas eu me lembrei horrores de vc esta semana. Tava revisando uma aberração de fim de curso (monografia é palavra muito forte pra definir o troço que esta que te fala copidescou) e o texto vira e mexe falava em criança e/ou adolescente. Tentei argumentar e dizer que ou é criança ou é adolescente, mas a moça autora da bizarrice me disse que isso virou termo técnico em serviço social, pq é “politicamente incorreto” falar só em criança ou só em adolescente. E criança e adolescente são duas personalidades diferentes. Acredite, eu ouvi essa justificativa.

  11.        » Xuxa, Cláudia e um bordão especial pro desdém comentou:

    […] que eu ainda não fiz este post aqui? G-zuz! Tava crente que tinha feito logo depois do intransitivo viado do Ronnie Von! Bom, bora consertar o erro, […]

Deixe o seu comentário aqui!

Publicado com o WordPress