Sobre minha pessoa

Share Button

Sou a Madrasta do Texto Ruim. Uma bruxa venenosa e malvada que, paradoxalmente, só faz o bem. Eu jogo aqui neste caldeirão os textos podres que saem dos neurônios das amebas escreventes.

As amebas escreventes são seres vítimas de terríveis encostos, como o ectoplasma mesmítico, o mamãe-eu-sei-escrever, o vejam-como-sou-genial-e-como-escrevo-bem! e o gerundol. Nunca percebem (/sem noção), mas seus textos estão invariavelmente sob o efeito do feitiço “Faça-se a bosta!”.

Esta bruxa que vos fala só consegue quebrar o feitiço com seu veneno e afastar os encostos quando conta com a colaboração dos ectoplasmas suínos (/espíritos de porco).

Já os ectoplasmas suínos são seres desencantados com os textos de bosta que as amebas escreventes jogam em seu limpo chiqueirinho. E enviam para esta bruxa os objetos que devem sofrer processo de envenenamento para serem descontaminados.

Os ectoplasmas suínos um dia ainda vão salvar a humanidade…

Share Button

Publicado com o WordPress