A madrasta e a paunocuzice alheia

Google imagens de madrasta: Várias malvadas, apenas uma boazinha -e loura. (Favor não reparar no rapaz à direita).

(Aviso: tô puta.)

Quando eu criei este blog, escolhi um template no wordpress (o quê, dona bruxa?) er… um quadro-negro arrumadinho. Isso, um quadro negro… que me dava uma linhazinha pra explicar qual era a do site. Aí eu me empolguei: Aqui os textos mal-escritos serão devidamente consertados e sofrerão com etcetcetc whiskassachê pereré pão duro e lá se vão três linhas e estourou o espaço.

A idéia deste blog é fazer com que os textos mal-escritos sofram tanto quanto nos fazem sofrer  pereré pão-duro whiskasachê etcetcetc e tente novamente.

Nada se encaixava naquele espacim safado pra definir o Objetivando Disponibilizar. Daí eu apelei pros slogans. Pensei numa bruxa. Bruxa, não, uma madrasta. Logo veio o A madrasta do texto ruim. Eureca! Coube direitinho!

Daí foi partir pro abraço e manter o slogan que visceja viceja lindo e forte até hoje aí nosencima do blog,

***plim-plim!  Pausa para os comerciais!***

A Marlena me corrigiu com muita propriedade: o verbo é viCEjar, sem ésse-cê!

Valeu pelo toque, Marlena! (Espero me lembrar disso, porque, né? Uma vida letrada inteira dedicada a acreditar que o correto era viscejar…)

*** plim-plim!***

e que define e explica, sem maiores sofrimentos e sem margem para duplas interpretações a idéia deste blog. Depois da personagem que eu criei, parti pra criação das amebas escreventes, os ectoplasmas suínos, os encostos, o feitiço fez-se a bosta! etcetcetc… (mais detalhes ao lado nas páginas sobre o blog , sobre as categorias etcetcetc)

Até que no último fim de semana entrou no blog um paunocu pra cagar regra. E escreveu a seguinte pérola em forma de comentário:

Por que você se intitula “madrasta do texto ruim”????? Que conotação você dá ao termo MADRASTA? De quem “Desce o cacete”????? Desse modo reproduz algo que muitas mulheres (a incluir minha esposa) combatem. A de que madrastas são ruins, rigorosas, mal-humoradas, entre outros adjetivos menos publicáveis. Existem inclusive fóruns de debates sobre o tema, procure-os.

POOTAQUEPAREEOOO!!

É isso mesmo, senhor imbecil! Desço o cacete em texto ruim – e em redator idiota também. A conotação de madrasta que eu uso neste blog é a conotação que me permite usar o dicionário Houaiss:

Madrasta

substantivo feminino

1 mulher em relação aos filhos anteriores do homem com quem passa a constituir sociedade conjugal

2 Derivação: sentido figurado.mulher má, incapaz de sentimentos afetuosos e amigáveis

3 Derivação: por extensão de sentido.aquilo de que provêm vexames e dissabores em vez de proteção e carinho
Ex.: o destino será uma m. para aqueles que lhe oferecerem resistência

 

Pelo visto, a ameba politicamente correta anti-madrastas fugiu das aulas de interpretação de textos. Esqueceu-se da definição de estereótipo. Tio Antônio, faz favor:

Estereótipo

Rubrica: artes gráficas.chapa ou clichê us. em estereotipia; estéreo, estereotipia

2 Derivação: por metonímia. Rubrica: artes gráficas.trabalho impresso com chapas de estereotipia

3 algo que se adequa a um padrão fixo ou geral
Ex.: A Vênus de Willendorf é um e. da mulher na arte paleolítica

3.1 esse próprio padrão, ger. formado de ideias preconcebidas e alimentado pela falta de conhecimento real sobre o assunto em questão
Ex.: o e. do amante latino

3.2 ideia ou convicção classificatória preconcebida sobre alguém ou algo, resultante de expectativa, hábitos de julgamento ou falsas generalizações

4 aquilo que é falta de originalidade; banalidade, lugar-comum, modelo, padrão básico

 

Por ter faltado a essa aula importante de interpretação de textos, você deixou de aprender que estereótipos e clichês são ferramentas importantíssimas para a formação do caráter moral e intelectual dos personagens de uma trama. Converse com qualquer escritor e você irá descobrir que, para expressar satisfatoriamente as características de cada personagem, todos os autores carregam nas tintas, forçam a barra mesmo. O malvado fica terrivelmente mau, e o bonzinho fica asqueirosamente doce e suspirante.

Por isso, ó ameba politicamente correta, TODAS as madrastas de histórias são malvadas; ou TODOS os amantes latinos são canastrões que acham que vão traçar todas as mulheres; TODOS os políticos brasileiros são ladrões corruptos e safados; TODOS os ladrões são mau-caráter; TODOS os padres usam batina; TODOS os príncipes encantados são lindos, louros, altos e andam em lindos cavalos azuis (porque naquela época ainda não existia a Mercedes-Benz ou equivalente); TODOS etcetcetcetc são assim assim assado. Entendeu?

Ah, mas eu combato isso! POOTAQUEPAREEOO!!! NÃO COMBATA, CARALHOOOO! ISSO NÃO É PRA COMBATER, ISSO É FERRAMENTA DE EXPRESSÃO, CACETE!!!

Ah, mas a minha mulher é madrasta e é boazinha ENTÃO ELA QUE SE EXPLIQUE E MOSTRE EM FORMA DE ATOS E PALAVRAS QUE ELA É DE FATO BOAZINHA, PORRAAAAAA!!!

Se a sua mulher é realmente uma pessoa inteligente, ela sabe rir dos estereótipos e clichês das madrastas. (Mas ela se casou com você, o que por derivação acaba com as minhas esperanças intelectuais por parte dela).

Ah, existem fóruns de discussão sobre a questão da boazicibilidade das madrastas em contraste com a malvadeza do estereótipo literário?

[Tio Antônio, chega mais! Temos que discutir a criação de um novo verbete para as suas páginas! É “paunocu“. Assim, escrito tudo junto. É, tio Antônio, é verbete chulo sim….]

Enfim, ameba, só pra resumir:

APAPORRA, BABACA! VÁ TORRAR OS PACOVÁ DE OUTRO! E ENFIE SUA CORREÇÃO POLÍTICA NUM LUGAR BEM MALCRIADO E DE SUA PROPRIEDADE!

Lembre-se que enquanto você luta para alteração de esterótipos, muitas meninas são estupradas em casa pelos padrastos, enquanto algumas madrastas jogam as enteadas pela janela

Louça que é bom você não lava, né, desocupado?



36 comentários sobre “A madrasta e a paunocuzice alheia”

  1. marinildac comentou:

    Sei que é sério, mas me desculpa se estou rindo sem parar…?

    Menina, #rindomuitoalto, viu?

    (deos me ajude, vou tomar um paunocu…)

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Pelo menos deu pra divertir alguém com a falta de noção alheia… 😀

  3. Leandro Ravaglia comentou:

    Acho que com esse texto você está sendo preconceituosa com quem gosta de dar o cu, uma vez que classifica isso sempre como castigo e não como a fonte de prazer tão saboreada pelos mesmos. Existem inclusive fóruns de debate sobre o tema. Procure-os.

    [#Brinks]

  4. Katia comentou:

    Adorei sua ralhação com o néscio-beócio politicamente correto!!!
    Dá-lhe!

  5. Luis comentou:

    Eita, ja eu fiquei foi assustado, visse? Foi muita madrastice (com C, amebas!) num post soh.

  6. Marlena comentou:

    Essa patrulha dos politicamente corretos é uma aporrinhação.
    Madrasta, precisa fazer uma correçãozinha aí nesse trecho: Daí foi partir pro abraço e manter o slogan que visceja lindo e forte até hoje aí nosencima do blog.
    Abraços

  7. Allan Moraes comentou:

    “A tua pia está cheia de pratos – tuas interpretações não correspondem aos fatos, a paunocuzice não pára, não pára não…”

  8. jonas comentou:

    Por que você sempre ofende, xinga, agride e ridicualriza as pessoas?

  9. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    pootaquepareeoo!
    volta pra aula de interpretação de texto, ameba!!!!

  10. Aline comentou:

    Eu concordo com o Leandro Ravaglia, isso é preconceito com as amebas. Seres unicelulares não tem cu. Existem inclusive fóruns de debate sobre o tema. Procure-os.

  11. Ettiene comentou:

    Capaz da Ordem do Paunocus do Brasil vir manifestar repúdio e propor ação contra suas ofensas à catiguria.
    Já as madrastas devem estar se mijando de rir.

  12. Tatiane comentou:

    Tô com a @marinildac, viu. Ri muito da falta de noção do sujeito. =P

  13. jonas comentou:

    Tá vendo outra ofensa. Inutil, desnecessária, gratuita e por isso mesmo leviana. Basta dizer: eu ofendo, chamo todo mundo de ameba, mando praquelelugar por que eu odeio o mundo. Só isso. Dai então a gente passa a ter uma melhor visão sua e quem sabe compreendamos melhor tanta agressividade.

    E dai talvez com o passar do tempo a gente possa indicar pra voce uma escola de bons modos.

    Fique em paz, Jnas

  14. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    pra quem não entendeu a definição de paunocu, o exemplo do Jonas é perfeito…. babaca.

  15. William Lourival João comentou:

    antes de mais nada ri demais (: , agora o comentário…
    ser politicamente correto tem limites, estudem antes de criticar… continue sempre assim MADRASTA do texto ruim, acompanho você a um bom tempo pra saber que você é séria e inteligente o sufuciente, para dar respostas como essa!

  16. jonas comentou:

    Sabe minha prezada sra Madastra, pessoas como voce são improprias para menores de 18 anos. E isso tudo seria muito aceitavel se voce não tivesse o desplante de vir de publico primeiro destilar seus odios, suas raivas e suas ironias, e em segundo lugar se voce tivesse um vocabulario um tantinho melhor. Xingar, estrebuchar, babar é tipico de quem não tem argumentos, de quem não sabe sequer que principios defende.

    Preocupam-me as crianças que lamntavelmente tem acesso a coisas como essas. Triste mundo as aguarda.

    Reserve suas ofensas gratuitas para sua turma, não as torne publicas. Não por mim, repito, que já sou bem mais velho que voce, e não corro o risco de ser influenciado por péssimos modos, mas pense nas nossas crianças. E seja mais gentil, mais moderada.

    Grandes abraços, eu fico por aqui.

  17. William Lourival João comentou:

    alguém reparou que naquela imagem do google busca imagens: madrasta, aparece um cara de cueca bem faceiro shaushaushaus

  18. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    FINALMENTE!!!!!! ALGUÉM REPAROOOOOOOOOOUUUUUUUUUUU!!!!!

  19. Italo Leonardo comentou:

    Beautiful post bad stepmother.

    É isso ai, manda esse cidadão/ameba tomar no orifício circular corrugado, localizado na região inferior lombar.

  20. Mari comentou:

    Caraaaadealhooo que cara LEGAL PRA CARALEO! Jonas… ela não tá chamando todo mundo de ameba, por favor, não tenta diluir SUA culpa conosco… nós pobres bactérias sedentas pelo suor mental da nossa querida madrasta! Ela chamou VOCÊ de ameba! Tive dó das amebas agora… to me sentindo mal… !! Amebas, por favor, fagocitem esse Jonas! Passei… canibalismo!

  21. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Esse já foi bloqueado do blog, que é pra não me torrar mais os pacová. gente burra que não entende a diferença entre “Madrasta do Texto Ruim” e “fada do texto ruim” não merece conviver com minha cútis… 😀
    (P.S.: Cútis = pele. Por favor, gente….)

  22. Luciano comentou:

    Objetivando inovar e trazer um novo conceito em madrasta, uma senhora moderna, do século 21, não mais malévola e comedora de criancinhas, mas educada, casta e politicamente correta, e assim estar contribuindo com uma sociedade mais justa, igualitária e ecologicamente engajada, sugiro que você esteja repensando os comentários do paunocu, digo, do Jonas.

  23. Lucas Pimenta comentou:

    Agora sim, seus posts e tuíts me divertem cada dia mais! Valeu!

  24. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Ainda bem que a grande e arrasadora maioria dos que entram aqui neste blog entendem que o objetivo dos textos é divertir os outros!
    Seja bem-vindo, Lucas e todos os que entendem a proposta deste blog.
    Não sei se existem fóruns para discutir esse tema. Acho que vou criá-los…
    😀
    \o/

  25. marinildac comentou:

    O Jonas é muito incoerente. Deseja paz o tempo todo mas está sempre ou na defensiva ou partindo pra briga. Noutro dia fiz um comentário no Twitter e parou de falar comigo. Sem razão alguma, pura injustiça, incompreensão. Ele é da guerra, não da paz ou do amor. Imagine, vir a seu blog provocá-la! Sem falar do humor, né? Esse… sem comentários.

  26. Márcio Arnaldo Borges comentou:

    “Objetivando inovar”; “conceito em madrasta”; “casta”; “politicamente correta”; “estar contribuindo”; “sociedade mais justa, igualitária e ecologicamente engajada”; “esteja repensando”. Beleza de ironia, Luciano!

  27. Márcio Arnaldo Borges comentou:

    Ou de sarcasmo, sei lá!

  28. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Acho que vou criar um fórum de discussão pra descobrir se o Luciano foi irônico ou não, sei lá… 😛

  29. Marlena comentou:

    O erro continua lá: o verbo é vicejar, não, viscejar. Acho que foi um lapso de tanta aporrinhação com a patrulha.
    Abraço

  30. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    Uia! Vicejar não é com ésse-cê? Rapá, eu seeeeempre escrei assim! /o\ ainda bem que vicejar num é um verbo que… viceje tanto assim no dia-a-dia, né?
    Muito obrigada mesmo pela correção!

    Aqui é assim: quando tô errada, enfio o rabo entre as pernas e aceito a correção! 😀

  31. Norma Nascimento comentou:

    Quase me mijei…kkkkk Até porque o Arnaldo Niskier pressionou a editora em que eu trabalho pra que a gente não usasse mais “judiar” ( nem o rabino Henry Sobel liga pra isso e até aprova). Foi a resposta que eu queria dar presses politicamente corretos fora de hora. Ri o dia inteiro, a cada vez que me lembrava e mandei sua resposta pro meu chefe! Valeu, madrasta!

    “Ah, mas eu combato isso! POOTAQUEPAREEOO!!! NÃO COMBATA, CARALHOOOO! ISSO NÃO É PRA COMBATER, ISSO É FERRAMENTA DE EXPRESSÃO, CACETE!!!” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  32. J. Ferrari comentou:

    Cuidado com quem, “atraz”, “trás” um “paunocu”…. hehehehe

  33. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    “concerteza”! 😀

  34. Marlena comentou:

    Precisa agradecer, não, Madrasta. Eu é que agradeço as horas de puro relaxamento com os seus textos.

    Abraço

  35. Luciano comentou:

    Faltou falar do enrolation básico. E se não fossem as vírgulas, dava pra matar gente por asfixia.

    Um beijo, Dona bruxa! Passei a escrever melhor desde que comecei a acompanhar o blog, apesar de jamais ter escrito 1/100 das barbaridades dessas assessorias.

  36. Priscilla Marx comentou:

    Caraaaleeeeeooo! Tô rindo muuuito aki… Fazia tempo que não via uma pegada de ar como essa!!! Parabéns pelo texto, adorei!

Publicado com o WordPress