O encontro, as preposições e um poste didático

É, não tem jeito. As expressões ao encontro de e de encontro a  confundem gregos e goianos.

Por isso, esta brujita que vos fala vai fazer um post ilustrativo, que é pra geral nunca mais confundir.

De encontro a – essa expressão indica ir contra a coisa e se chocar (no sentido figurado ou não).

Pense sempre que, numa batida, o carro vai de encontro ao  poste, e se esborracha todo.

De encontro ao poste

Ao encontro de – Essa expressão significa comparecer a um encontro, compromisso, convescote. E, em sentido figurado, significa aliar-se, juntar-se, enfim, concordar.

Lembre-se da namorada que vai ao encontro do  namorado no motel. Pronto, enfia sacanagem no meio que você não esquece mais! 😀

Ao encontro do amor (é, eu sei que ficou brega. Mas veja o lado didático da coisa, vai...)

 

Espero ter ajudado vocês com esta aula ilustrativa! 😀



8 comentários sobre “O encontro, as preposições e um poste didático”

  1. KatytaSV comentou:

    Este post está super didático rrss. Principalmente porque me ajudou num texto que havia feito e inseri o de encontro no lugar do ao encontro srrs.
    E justo num texto falando sobre comunicação. Ato falho total e corrigido graças a Madrasta!!
    Ela salvou meu texto e me livrou de algumas críticas e piadinhas rsrs!!
    Valeuuuu!!

  2. Madrasta do Texto Ruim comentou:

    muah! Eu é que tenho que te agradecer por me servir de inspiração pra esse post! \o/ 😀
    volte sempre – e aceite um bolinho de fubá… 🙂

  3. Marlena comentou:

    Já pensou em reunir seus posts-aula em um livro? Sucesso na certa.

  4. Marlena comentou:

    Puxa, Madrasta, já faz mais de 10 dias que você não posta uma coisinha sequer… chuinf…

  5. Luiz Fernando comentou:

    http://www.rac.com.br/noticias/campinas-e-rmc/108956/2011/12/10/jovem-de-17-anos-pula-em-lagoa-e-se-afoga-em-campinas.html
    Afinal, mudaram o significado do verbo “afogar” e ninguém avisa?

  6. Ana comentou:

    Adorei a forma como vc explicou! Muito bom mesmo.

    Tenho cá meus probleminhas com o português (por isso visito sempre seu espaço), mas esse caso foi uma das coisas q aprendi na escola e nunca mais fiz confusão.

    Mas, é super comum o pessoal trocar alhos por bugalhos. Sempre q puder, recomendarei esse post. O blog, sempre indico.

    Td de bom pra vc.

  7. TS Bovaris comentou:

    É claro que não é meu caso. Eu jamais cometeria um erro desses, afinal sempre que a frase chega nesse ponto eu procuro outra saída. Tá, tá, pode ser covardia, mas cada um tem seus métodos de encarar o português, seja ele o da padaria ou o da gramática. Agora posso cometer erros do tipo… digamos… confundir “chega nesse ponto” com “chega a este ponto” ou talvez quando chegar à esse ponto eu me confunda tanto que a frase perca sentido, não sei, entende?

  8. cristovam comentou:

    É difícil começar a escrever para você. Estou embatucado aqui. Mas vamos lá: deu no G1 de hoje um exemplo ótimo para você criticar:
    “PROTEÇÃO
    Fone de ouvido salva da morte atropelada”
    É uma beleza, não é mesmo. Bastante conciso, esclarecedor e direto.
    Abraços,
    Cristovam.

Publicado com o WordPress